Como parar de querer um namorado

Como Ignorar Seu Namorado. Todos os relacionamentos têm altos e baixos. Talvez você e seu namorado estejam brigando muito, ou talvez ele tenha se fechado emocionalmente. Se as conversas não estiverem levando vocês a lugar nenhum, tente uma ... Como deixar de ser um namorado ciumento Agora, o ciúme é completamente normal até certo ponto, então não pense que você é estranho por ter esses sentimentos. Na maioria das vezes, temos medo que nosso parceiro encontre outra pessoa. É por isso que sentimos ciúme - os queremos apenas para nós. É uma insegurança que todos compartilhamos. 10 Sinais de que você deveria parar de procurar um namorado. ... se você já for a um encontro pensando dessa maneira, o homem vai sentir a tensão e não vai querer ter nada com você. 4. Reclamar de tudo. ... Saber antes o tipo de homem com quem você vai sair e como será o final dessa história. Frequentemente, vemos dicas de como atrair um homem, como chamar a atenção para você. Mas e quando você quer um homem bacana para namorar? As dicas nesta lista foram feitas para pessoas que já estão paquerando ou que ainda não encontraram um “alvo”. Conheça aqui algumas dicas de como atrair um homem para namorar. Como parar de amar meu namorado ?! ... repensar se esse relacionamento te faz bem ou mal. Às vezes nos acomodamos em relacionamentos apenas por medo de algo novo, por não querer ficar sozinha ou até mesmo porquê nos acostumamos com a pessoa e assim as coisas já estão mais 'fáceis', só que quando percebemos estamos infelizes e ... Olá, Lilo! Seja bem-vinda! Não sei se posso te ajudar muito, mas vou tentar. Não posso argumentar sobre seu relacionamento e nem sobre os comportamentos do seu namorado, pois o vício é diferente para cada um de nós (somente alguns sintomas parecem ser comuns: baixa autoestima, desanimo, depressão, ansiedade social, falta de concentração, problemas com ereção e etc). Se o seu ...

Sou babaca por querer de ser amiga de um rapaz?

2020.09.30 15:32 speedome Sou babaca por querer de ser amiga de um rapaz?

Primeiro oi pessoas que estão lendo isso, e segundo essa história tem conexão com outra que postei, entretanto não é preciso ler para entender essa, mas se quiser contexto, leia, está no meu perfil.
Então meu amigo, o Zack conversa comigo diariamente como de costume, entretanto, ele começou só conversar sobre os problemas pessoais dele, como sobre que a vida dele está péssima depois que terminou o namoro e que ninguém está do lado dele. Em uma conversa que tivemos, ele jogou “o único amor que existe é o amor próprio” para mim e eu disse que é mentira já que eu o amo como um amigo, e o Zack disse para eu parar de mentir. Honestamente, fiquei triste mesmo, sei que ele é depressivo,mas isso foi o que mexeu com meu coração. Além de me dizer que eu não entendo nada de amor por não ter namorado em ninguém. Pedi para ele buscar ajuda psiquiátrica, já que é a única coisa que passou pela minha cabeça na hora, entretanto ele disse que já procurou e os remédios dele não funcionam. Será que é errado eu me distanciar dele? Eu tentei o meu máximo para ajudar ele, é só que...eu sou a babaca por querer me distanciar dele?
submitted by speedome to TurmaFeira [link] [comments]


2020.09.15 03:47 Initial_Name85703 estou travando uma batalha interna cmg mesmo,

hi, tenho 17 anos e sinceramente eu não tenho mais forças pra continuar desse jeito.
meu teclado está horrivel mas tá ficando entalado e ...
desde cedo eu sempre fui uma criança muito tímida e em mais sensivel que as outras crianças, nunca fui de ter muitos amigos e eu realmente invejava todos que tinham muitos amigos, até amigos próximos q tinham muitos amigos antes de completar 14 anos minha mãe descobriu um cancer de mama, e pra ser bem sincero a vida vai desgastando com todo mundo, eu hj estou sem forças pra ajudar mimnha mãe, sou muito,muito apegado a ela mas eu senti muita saudade do que eu não vivi na minnha infancia, vontade de jogar bola. ter muitos amigos, sair pra beber cokm meus outros amigos adolescentes e com 15 anos eu arranje uma namorada que foi e [é bastante apoiada pelos meus pais (meu pai teve uma familia antes de nós e o filho mais velho dele é gay, isso sempre fragilizou o meu pai, apesar dele amar bastante ele) então era bastante incrivel, perdi minha virgindade com ela e vie e versa, mas na virada do ano de 2019 eu descobri q ela tinha me traido com outra pessoa, no desespero pra não ficar sozinho e voltar a ser eu mesmo, eu perdoiei, passando uns meses eu descobri outra, e outra, e outra que eu confirmei só recentemente, já trai ela, dps q eu descobri isso mas isso relamente não é pra mim,k enfim.
ela passava ferias inteiras cmg em casa e pela saude debilitada da minnha mãe ela sempre cuidou dela, bem mais que de mmim, no inicio de 2020 na virada do ano ela simplismente surtou e me fez passar um mico na frente dos meus familiares e eu passei por isso.
enfim, no inicio da quarentenaq ela veio passsar a quarentena cmg e foi muio bom, mas começou a ficar insuportavel a pessoa dela cmg, em uma noite nós estavamos conversando a luz das elestreas e ela perguntou sobre "se eu tinha vontade de fazer sexo a 3" disse que tinha curiosidade e tal mas foi isso,então ela passou semanas tentando convencer alguem a fazer isso conosco( ela é assumidamente bi) nunca liguei anto apesar da curiosidade, enfim cheou o dia 11 de julho era aniversario do meu avô em outra cidade e no´s fomos, chegando lá eu comecei a beber com os meus amigos e princicpalemnte o meu irmão, mas em um momento minha prima me chamou pra passsar batom nela pra nós irmos sozinhs pro quarto.
bom nesse ponto eu preciso voltar alguns anos pra contextualizar, eu namorava uma garota e ela era de outra cidade meu pai trabalhava fora então ele traza ela sempre q pode, não era um namoro assumido e era bem estranho mas nós estavams, mas minha namorada era muito próxima da minha prima, muito mesmo então eventualmente eu descobri q elas estavam ficando :)
ela namorava o primo da minha namorada ( game of thrones ) e um dia ela sumiu, e eu descobri q ela tinha traido o meu primo com outro cara, então eu me fiquei muito ruim, contei pro meu melhor amigo na epóca e ele espalhou a conversa, mas o namorado dela nunca soube
voltando, enquanto caminhava eu olhei pra tras e vi minha namorada vindo atrás de nós, soube, eu já imaginava oq ela queria, entrei no quarto e minha prma ficou de olhos fechados sentada eu olhei pra trás e ela estava no quarto me encarando quase me pedindo, então eu dei um beijo na minha prima, ela olhou pra minha namorada e elas comecaram a se agarrar na minha frente, minha namorada não disse nada mas minha prima dizia coisas como "tua boca e tão macia" "voces parecem sex education"e ela esfregava minha namorada então minha namorada diz "enfia.."eu exitei por um momento e ea pediu denovo e eu fiz, minha prima pediu pra parar e nós paramos, nos despedimos dali mas eu fui atras dela pra pedir desculpas e ela me ignorou e minha namorava pouco se importava, ela ficou com nó por um tempo e depois foi embora, no outro dia e fui na casa dela fazer outras cosas e eu aproveitei pra conversar melhor e ela disse q era melhor nós deixarmos esse assunto pra lá, viemos embora e na segunda feira eu encontro no twter dela ela dizendo q tinha sido estuprada por nós ,conou q tinha sido a força,etc...
poucos minutos dps minha mãe já sabia e enfim apartir dali meu mundo mudou, eu queria me defenderm mas eu não podia de jeito nenhum, ninguem me escutava, mnha mãe ligou pra cpnversar com ela pra saber de todo ocorrido mas eu não tava em casa tinha saido pra jogar volei, e o dia se passou, no outro dia meu pai levou minha namorada embora e eu fiquei só, minha mãe conversou com a minha prima por ligação e wwp,e no whatsapp ela escreveu" tia eu só fiz isso pq na epóca da #### eu estava me envolvendo com uma pessoa e ele simplismente contou pra todo mundo então eu queria q elesenisse como eu me senti" no tiwtter pouco tempo dps ela já estava debochado da situação "nâo vou denunciar #### mas eu vou destruir a vida social dele igual ele fez cmg :)" na verdade eram bem mas emojis de shitpost, e pra qualquer pessoa q se interessase ela contava a historia de debochava da situação, pouto tempo dps ela percebeu q tava falando algumas coisas dms e ela excluiu as postagens mas já havia se passado alguns dias e eu já tinha printado muitas coisas,minha famiia se duvidiu mas n durou muito lgo todo mundo estava do lado dela e com razão, não sou mais do tipo de ser merecedor de pena, ela disse q não queria mais falar do assunto e etc... passado um mes desde q eu tinha sido'CANCELADO" ela contou pra uma pessoa muito importante pra mim e eu publiquei o maximo q eu pud no meu tt tentando me defender, mas a essa altura eu já falava com umas 3 pessoas, ele ficaram irritados pq eu ainda falava daquele assunto e desde então tem sido ainda mais dificil sem eles, a mãe dela é umapessoa muito extrovertida com o resto da familia do tio q paga grades e grades de cerveja, enquanto nós somos bem mais reservados então naturalmente ele ficaram do lado dela,por causa do tratamento e traumas passados mamae tem depressão e por causa de tudo issso a depressão dela agravou e e la tentou e matar, mas nós somos mais reservados, soubemos puco tempo dps q ela tbm tinha tentado de se matar mas esssa n foi a °1 vez q ela tentou ela já disse no tt q já havia tentado se matar 60 vezes, e eu sei oq é querer morrer, desistir de tudo, se eu tentar me matar vai ser só a 1° tentativa e só mas ninguem se importaria ninguem quer ewscutar a minha versão e eu fico muito triste pq ninguem, ninguem sente falta de mm, me deixa arrasado pq quqando eu conto parece q isso é culpa da minha namorada mas eu sinto tanta falta dela, me deixca triste pq não é a 1° vez q ela difama alguem aleatoriamente, ela diz que odeia o cunhado dela por ser toxico,mas, toxico pq? não tem explicação o cara não sai nem do meo do mato, me sinto trise pq eu acho q tenho depressão mas eu acho tbm q seria desulmilde da minha parte achar isso assim, tbm repudio completamente assedio abuso estupro, tudo, tusdo issso e jogam um fardo desses ma minha costa, eu sinceramente não me matei pq é a minha mãe quem precisa de mim, eu simplismente odeio odeio odeio ela, e sinto muito se ela tiver depresssão mas eu não me importo mais , ela fez tudo isso e esperou o momento pra acabr cmg e ela conseguiu e ninguem vai querer simplismente abraçar minha causa, tbmme sinto horrivel pq parece que eu s´penso em im, mas toda vez q eu lembro disso me dá um peso mo meu peito. desculpa mãe mas eu não fiz isso.
submitted by Initial_Name85703 to desabafos [link] [comments]


2020.08.31 05:18 _powerguido_ Senta que lá vem história

Ficamos juntos por 5 anos. E não foram 5 anos fáceis - minha ex namorada teve problemas que eu não sabia como ajudar. Ela era literalmente stalkeada por um ex colega de classe que simplesmente se apaixonou por ela e passou mais de dois anos perseguindo ela no trabalho, no mestrado, na academia. Chegou a conspirar com colegas da faculdade pra saber onde ela estava, quem eram as pessoas próximas dela. Tentou rapta-la, mais de uma vez. Subornou familiares para ficarem do lado dele. Pra ela, ele era só um cara que não sabia expressar os sentimentos bem. Se ele parou? Não. Mas reduziu a agressividade consideravelmente e hoje em dia se limita à "só" mandar um buquê de rosas no aniversário dela.
O cara já estava tão enraizado na vida dela antes de eu aparecer, que eu simplesmente não consegui convencer nem mesmo a minha ex de que ele era um cara realmente transtornado. O terror que era esse cara na vida dela só serviu pra agravar ainda mais o caso grave de ansiedade que ela tem. Vocês sabem o que é ver uma crise de ansiedade pela primeira vez, sem nem entender o que estava acontecendo? Mas uma crise grave mesmo, de fazer a pessoa chorar por duas horas sem parar, de ficar arranhando o corpo todo com as unhas e viver com hematomas nos membros do corpo por causa disso. E isso começou a ficar constante... uma hora eram uns arranhados no rosto, depois nas pernas. Até o dia em que eu fui ver ela e os dois antebraços estavam quase em carne viva.
E o pior, é que eu quase nem me lembro mais dessa época. Foi muito intenso e me afetou negativamente por muito tempo. Eu conseguia entender que um babaca machista se via no direito de perseguir uma mulher só porque ela não queria namorar com ele - mas meu deus do céu, eu com certeza não conseguia entender como ela mesma não via o quanto ela precisava de uma ajuda profissional por causa da influência negativa desse cara na vida dela (e por vários outros motivos que não valem nem a pena serem citados). Ela me usava como substituto pra tudo que ela não tinha na vida dela - um pai, um irmão, um psicólogo, um amigo. E eu me deixei levar, porque era ingênuo. Porque era meu primeiro namoro. Porque eu achava que eu podia consertar isso. "Depois das primeiras sessões no psicólogo ela vai perceber que esta fazendo bem pra ela", eu dizia pra mim mesmo. Passamos em tantos psicólogos, psiquiatras, gurus. Fizemos academia juntos, eu praticamente morava com ela e não ficava mais com minha família. Eu achava que eu podia dar um jeito na vida daquela menina.
E sinceramente? Eu podia mesmo. Eu não acho que falei alguma coisa errada pra ela em todo o tempo que estávamos juntos. Mas ela nunca me ouvia. E se ela ouvisse, talvez ela tivesse passado por essas situações com mais facilidade, nosso relacionamento teria tomado outros rumos e nós ainda estaríamos juntos. Mas não estamos, e quem está perdendo com isso é ela, porque ela não me superou com certeza. Ela mesma me fala isso.
Eu não acho que eu era um namorado incrível e maravilhoso. Eu nunca tive um carro pra conseguir dar um rolê com ela. Com meu dinheiro mal dava pra gente ir no cinema uma vez por mês. Mas cara, eu me esforçava tanto, tanto mesmo. Lembro que eu um dos dias dos namorados eu quase varei a noite fazendo uma carta à mão de umas 10 páginas, tinha vários desenhos coloridos, poemas apaixonados e promessas de amor. Ela achou ok. Gostou mais do bicho de pelúcia que eu também dei, que custou 10 reais e que claramente não tinha nenhum valor sentimental pra mim. É muito difícil lidar com um cara que persegue sua namorada, mas acho que é mais difícil quando sua própria namorada não dá valor pra como você expressa seu amor por ela.
Mas você leitor deve estar pensando "Mas você disse isso pra ela?" E a resposta é sim. Eu sempre fui sincero com ela, se algo me chateava, eu dizia. Nada do que eu estou escrevendo aqui é algum segredo pra ela. E eu achava que ela ia trabalhar essas informações pra criar um relacionamento mais confortável pra mim e pra ela. Mas ela escolheu ignorar.
Mas o motivo de eu estar escrevendo tudo isso mesmo na verdade é outro. A gente terminou, mas foi razoavelmente tranquilo e decidimos continuar nos falando. Nós dois somos adultos, não é porque discordamos de alguns pontos que precisamos deixar de apreciar a companhia um do outro pra todo o sempre.
E é aqui que sou obrigado a voltar pro começo do nosso namoro. Porque apesar de termos iniciado o namoro cada um com mais de 30 anos, perdemos a virgindade juntos. Crescemos sexualmente juntos. Aprendemos tanto juntos! Eu mais ainda, visto que era meu primeiro namoro. E eu reclamei muito aqui da minha ex (e ela realmente tem os defeitos muito marcantes dela), mas eu também preciso admitir que ela em muitos momentos foi tão minha parceira, minha confidente, minha amada. Eu passei calado por todas as situações que eu já descrevi aqui e muitas outras tão ruins quanto porque, no fundo mesmo, pra mim estava valendo a pena. A gente tinha intimidade, apesar da dificuldade extrema dela de se abrir pra mim. Eu estava sacrificando meu bem estar mental e físico para sustentar o nosso relacionamento.
Tanto que só perto do final do nosso relacionamento que ela assumiu pra mim a atração por outras mulheres. Eu entendo ela, tem gente que não reage bem à isso. Eu tenho certeza que a família dela não reagiria nada bem. Entendo que era um segredo que ela queria deixar só pra ela, e que mesmo com toda a intimidade sexual que a gente tinha, ela também tem o direito de manter coisas só pra ela. É justo.
Só que eu não fiquei com raiva, nem com medo de ela querer me trocar por uma mulher, nem tive essa ideia fetichizada de transar com duas mulheres ao mesmo tempo. Eu sou um cara hétero, mas eu acho o amor lésbico de uma sensibilidade e de uma beleza inexplicável. Eu sempre me sinto mais seguro perto de mulheres, sempre me conecto mais com elas. Desde pequeno eu gosto da presença feminina. Então a ideia de duas mulheres partilhando um relacionamento, parece uma coisa quase mágica pra mim. E de novo, não é nada sexual nem fetichizado, eu realmente só acho muito bonito mesmo. Então qual foi minha reação quando descobri que minha ex tinha vontade de viver isso que eu acho tão incrível? Incentivei ela à correr atrás disso.
Mas é claro que ela, criada numa família extremamente católica, iria simplesmente sair atrás de uma guria do dia pra noite. Foram meses de conversa, de aceitação da parte dela também, de entender que ela não era uma aberração da natureza porque sentia atração pelo mesmo sexo (e também pelo sexo oposto). Nossos últimos meses juntos foram repletos de muitas conversas relacionadas ao mundo LGBT+ e afins. Acho que nós dois também já sabíamos que as coisas não estavam mais super bem entre nós, e que era questão de tempo até a gente se separar. Nosso relacionamento estava bem desgastado mesmo. É estranho porque a gente consegue ser extremamente forte pra parceira quando ela precisa ir correndo pro hospital, ou tem uma crise de pânico, ou não se sente segura na rua e precisa que você pare o seu dia para fazer companhia à ela - mas parece perder a motivação quando essas situações se normalizam e você percebe que talvez aquela pessoa simplesmente não tem a proatividade de te mandar uma mensagem perguntando "como foi seu dia", e de alguma forma sempre está online no whatspp. Sim, nosso relacionamento acabou. E foi bom ter acabado. Eu precisava desse término, muito mais do que eu precisava de uma namorada.
Mas também é muito bom saber que aquela pessoa por quem você passou anos cultivando um sentimento também está vivendo a vida dela. É bom saber que dá pra gente marcar um dia pra devolver as roupas dela que ficaram aqui em casa, sem drama, sem dor de cabeça. Ela foi muito madura no término, eu também. De certa forma nosso namoro acabou, mas continuou como uma amizade - bem menos intensa, bem menos problemática, bem mais fácil de lidar. Mas também sem as partes boas, sem aquela sensação de que se está ajudando a pessoa. Mas é muito mais do que milhares de pessoas separadas têm hoje em dia. Não posso reclamar, eu tenho muita sorte.
Eu só queria mesmo poder partilhar com ela a experiência da descoberta homoafetiva dela. O que não vai acontecer, já que ela já deixou claro que não é obrigada a revelar nada da vida pessoal dela agora que nosso relacionamento terminou - e ela tem total razão nisso. Eu sei disso, eu concordo com isso, e ao mesmo tempo eu acho que ela está sendo tão injusta por me negar esse fato.
Eu sei que não justifica, mas eu me dediquei tanto ao nosso antigo relacionamento juntos. Tive que entender que eu não estava mais sozinho no mundo, eu tinha alguém pra dividir o mundo comigo. Eu tive que aprender a baixar minha guarda, contar o que me dava medo, me expor totalmente à alguém, me desconstruir inteiro. E isso é muito difícil pra mim. Eu sei que ela não me deve nada, e eu sei que eu sou um idiota por me apegar tanto à esse motivo tão besta. Mas isso é realmente importante pra mim. Tem uma coisa dentro de mim que é ansiosa em saber se minha ex está se sentindo acolhida por uma outra mulher, se teve uma boa primeira experiência. De novo, eu sei que soa muito trivial, mas é uma verdade tão grande dentro do meu coração que me faz querer chorar quando lembro que isso nunca vai acontecer.
E não tem nada que eu possa fazer a não ser aceitar. E é exatamente isso que eu venho tentado fazer, pelos últimos 6 meses.
submitted by _powerguido_ to desabafos [link] [comments]


2020.08.28 19:29 iammacfag MINHA MÃE ME CHANTAGEIA E EU SOU COVARDE DEMAIS PRA FAZER ALGUMA COISA

Eu amo (na verdade, já amei) minha mãe. Mas depois que ela começou a namorar virou um inferno. Primeiro, eu mando ela parar de sustentar o namorado dela.
Ele não passa necessidade, mas ela já fez: Bolo Lasanha Macarrão 3 vezes e Escondidinho pra ele.
Ele falou que tava sem gás um dia, e minha mãe saiu correndo no meu quarto trocando de blusa e pegando o gás de casa pra levar pra ele. Ela chegou e disse que ele tava chorando, quase passando fome, sendo que naquele dia ela pediu pra achar um motel 5 estrelas pra eles e disse que ele que ia pagar. Meus pais moram juntos mesmo separados, até meu pai sumir daqui, e ele sabe só que minha mãe tá conhecendo ele. E meu pai traiu primeiro 6 anos atrás.
E quando ele chega, ela fala pra ele que eu não respeito ela, que eu falo da vida dela pra todo mundo, o que é mentira já que eu só falo pra quem já sabe, sendo que ela só esse ano, antes do meu pai saber que ela tá namorando, já separados, falou que tava indo comigo passear, sendo que ela quando subiu a rua me deixou lá na calçada, sozinho, só com dois bêbados na rua que podiam ter me matado. No começo do ano eu xinguei o Sérgio (namorado dela), não na cara dele, porque eu nunca vi ele pessoalmente, e ela me deu um tapa, bateu no filho dela por causa do namorado. E quando eu ameaço contar pro meu pai, ela fala: "Conta! Vai lá e conta!" Sabendo que eu não consigo porque meu pai mata ela se souber. E dps vem no meu quarto perguntando se a comida tá gostosa como se nada tivesse acontecido. E quando eu falo pra ela parar de sustentar ele, ela me suborna, a gente não é rico, e sim classe média, que não é alta, e fala que vai pegar parte do dinheiro que ela recebe hoje já que ela saiu do emprego, e fala que "se eu deixar ela ser feliz", ela me dá o celular dos meus sonhos ( o meu não é dos melhores, mas tá com a traseira quebrada e a digital parou de funcionar do nada) e que vai me dar o dinheiro pra comprar meu notebook (vendi meu PC "básico" pra trocar pra um notebook, por ser melhor de transportar) já que boa parte do dinheiro eu emprestei pra ela pagar as contas. Ela acha que eu só penso em dinheiro pra me subornar e fala que se eu contar alguma coisa pro meu pai, ela vai falar que eu bati na cara dela em janeiro.
Eu não bati por querer, a gente tava discutindo no carro e eu fui pegar alguma coisa que eu não lembro na parte de cima do carro e eu tava bravo e minha mão foi rápida e bateu na cara dela bem de leve. Mas ela fala que eu bati por querer, e se falar pra ele, ele acredita e me mata.
Só fico maior de idade daqui 5 anos e me formo em mais 5. Não aguento mais e não tenho dinheiro pra sair e alugar um lugar pra ficar. Se eu tivesse até uma barraca, eu morava na minha tia, colocava a barraca na cozinha e dormia lá, mas eu não tenho. E ante ontem ela ficou me enchendo o saco pra ajudar ela a postar uma bosta no Facebook e eu falei que não porque ela sabia que eu tava na aula.
Alguém sabe o que fazer?
Edit: Falei pra minha tia agora que meu pai falou que se eu fazia fofoca, era por influência da minha tia, e falei porque ela ainda faz comida pra ele.
submitted by iammacfag to desabafos [link] [comments]


2020.08.26 19:14 talinda_ Ansiedade por alguém

Olá pessoal
Tudo bem com vocês?
Conheci um rapaz no trabalho, no qual estou há dois anos e nunca tinha notado ele, pois trabalhamos horários diferentes, porém, esse ano fizemos um trabalho juntos e então seguimos um ao outro no Instagram e depois de de então conversamos, passamos dias após dias conversando, até bater aquele desejo de ficar um com o outro. A questão é que eu moro com meu namorado e ele foi casado mais se separou e agora estava ficando com uma menina no qual iria pedir em breve em namoro. Marcamos de ficar, porém chegou o covid e fique com medo de ir. Até então demoramos e não rolou, só que o meu desejo por ele ainda é muito forte a curiosidade, eu nunca fiquei com outra pessoa a não ser meu namorado, estou falando em termo de sexo. Por isso a tão sonhada curiosidade. Algumas vezes nos falamos no Instagram, mas eu sinto que ele fala por educação e fico ansiosa em ver a mensagem dele, já falamos de todos os assuntos possíveis, essa semana ele falou comigo algo do trabalho e no meio da conversa ele quis saber se eu ainda estava afim de trai, eu disse que ainda sentia desejos e curiosidades, ele disse para eu não seguir com isso pq eu não iria mais parar, mas depois falou sobre sexo que iríamos fazer, eu não sei qual é a dele, eu sinto um puto desejo por ele e isso está me matando aos poucos, pois eu penso muito nele, penso em todas as coisas que ele disse que ia fazer comigo e eu me sinto estranha com isso e ainda pq eu sei que eu não terei coragem de ir a fundo com isso e ele muito menos, pois a única impressão que eu tenho é que ele quer o tão sonhado sexo e fora. Desculpas, mas hoje estou com uma crise de ansiedade horrível, pois iremos fazer um trabalho novamente juntos e como estamos de home office ele se ofereceu para ir lá em casa já que estou sozinha esse tempo, e o que está me matando é exatamente isso, como será a vida dele até a minha casa? Dois amigos orientou que ele não vinhesse na minha casa, poderia ser na dele, mas ele disse que não precisava de ir na dele que ele vinha na minha. Acho que a namorada dele está lá.
Pessoal, o que eu faço? Se ele vim aqui eu tenho medo de não resistir e ficarmos e depois ele falar no trabalho ou eu me apaixonar e querer outras vezes e ele da um fora pq a forma de como ele fala o sexo é bom, mas tbm ele se acha demais e isso me irrita algumas vezes. Devo excluir ele do Instagram? Whatsapp?
Eu sou trouxa demais.
submitted by talinda_ to desabafos [link] [comments]


2020.08.16 20:11 SevenNora sou babaca por querer vingança?

Em 2019 aconteceram várias coisas que me tornaram a pessoa que sou hoje. ano passado conheci um grupo de pessoas da internet que eram de um estado longe do meu, foram muito simpáticos e me trataram muito bem, embora eu fosse um pouco diferente deles.
Passamos muito tempo juntos e essas pessoas me livrou de muitos problemas (como parar de pensar em besteiras e etc ...) o grupo era formado por 3 pessoas (exceto eu).
Vou chamá-lo de "Matos, Fla e Gab"
Fla e Gab eram namorados e Matos gostava de Fla o suficiente para querer namorar com ele também, mas como ele já estava namorando Gab, ela só ficava no desejo.
Gab e eu ficamos muito próximos, ela se tornou minha melhor amiga e conversamos muito, de acordo com ela, Fla não se importou porque ele sabia que eu não tentaria nada (e realmente não faria).
Teve um momento no final do ano em que quebrei meu celular e continuei falando com eles no Facebook e o fato de ser um pouco limitado em termos de horas online acabei me distanciando. entretanto Gab terminou com Fla e Gab e eu comecei a namorar ela.
Foi muito divertido o nosso tempo de namorados até que um dia a Matos pediu um telefonema, e segundo ela queria que nos masturbássemos no telefone, obviamente neguei e ela disse que ia tomar banho, respondi com um "ok" e segundos depois recebi uma mensagem do pai dela dizendo que eu era um pedófilo, estuprador e que era procurado pela polícia. Fiquei apavorado e com muito medo, tentei provar o contrário, mas nada funcionou.
Algum tempo depois, simplesmente me esqueci da Matos e tentei continuar com a minha vida.
Pouco tempo depois recebo uma mensagem da Gab onde ela dizia "diga-me que não é verdade ..." confundi e perguntei o que se passava e ela disse que o Matos e o Fla tinham contado que eu era pedófilo, estuprador e que Eu era procurado em mais de 15 estados. Eu disse que não era verdade, mostrei minha identidade, cartão e tudo onde tinha meus dados. Mas como sempre nada funcionou, ela me bloqueou de tudo e eu perdi todo o contato com Gab, Fla e Matos.
Uma coisa que não te disse foi que a Matos é uma cantora bastante famosa no Rio Grande do Sul, ela até vendeu livros e fez testes para o "The Voice Kids", desde então tenho tentado destruir a carreira dela, mostrando os prints dela pedindo fotos íntimas minhas. Ainda estou tentando destruí-la, mas sem sucesso.
eu sou babaca?
submitted by SevenNora to EuSouOBabaca [link] [comments]


2020.08.08 17:52 afullscreen Conto erótico, baseado em fatos reais: No Supermercado

Gente, tô começando a escrever contos eróticos, gostaria da opinião de vcs, por favor 😉 <<<
Sabe aquela pessoa que só de lembrar já esquenta o corpo todo? Assim era o Marcelo para mim, moreno, alto... Daquele jeito que a gente olha e sabe que tem uma química foda! A gente já tinha super entrado no clima, numa balada, e tinha rolado um beijão, mas ele era amigo do meu ex namorado e meu ex apareceu inesperadamente na festa e cortou todo o clima. Eu fiquei incomodada e fui embora, com a pepeca latejando de tesão, mas naquele dia não rolava continuar.
Até que uns quatro dias depois daquela festa e umas cinco siriricas dedicadas ao Marcelo depois, eu estava fazendo compras no mercado e o Marcelo aparece do nada. Daquele jeito dele, charmosérrimo, estiloso, cabelo comprido preso num coque, barba cheia, camisa branca e calça jeans justa, super sexy. Na hora minha respiração falhou e o coração veio na boca. Senti até meus lábios ficarem inchados e as bochechas vermelhas, enquanto minha calcinha automaticamente encharcava. Era uma noite quente, e eu comecei a suar, mas era de nervoso. Eu tava com um vestido preto, colado mas nem tanto, que ia até os joelhos, e comecei a sentir uma gotinha de suor escorrendo pelas minhas pernas.
Marcelo me viu, sorriu e veio na minha direção. Na cestinha de compras ele tinha apenas um fardinho de cerveja. Eu estava escolhendo um vinho branco e já tinha pego alguns aperitivos. Ele olhou para minhas compras e perguntou “vai rolar uma festinha em casa hoje?” E respondi “o plano era me divertir sozinha, mas…” Já com um olhar safado e um sorriso, porque se tem algo que eu sei fazer é flertar. Ainda mais com um cara que me deixa louca de tesão. Eu não podia perder essa oportunidade.
Mas, nessa arte ele é quase pior do que eu, então ele chegou bem perto e falou no meu ouvido “até agora eu não sabia o que ia comer essa noite…” Eu ouvindo isso e sentindo o cheiro gostoso dele, derreti na hora. Dei uma risadinha e falei “seu safado”. Aí “sem querer” encostei as costas da minha mão na calça dele e já deu para sentir o pau dele duro, me querendo. Eu estava em êxtase, não conseguia parar de sorrir de felicidade e excitação, mas tava me contendo para manter a pose de sexy e sedutora. E eu sabia que ele tava exatamente na mesma.
Fomos juntos ao caixa, passamos o tempo todo brincando com encostadas e encoxadas “sem querer”, até que ele meteu o mãozão na minha bunda e apertou com tanta vontade que quase dou para ele ali na frente de todo mundo.
Mas ok, pegamos as compras e fomos pro estacionamento, era noite e não deu outra, quando entramos num lugar escuro eu me virei para ele e dei um cheiro, seguido de beijo com direito a mordida no pescoço, que o pau dele quase rasgou a calça de tão duro que ficou. Então ele me grudou no beijo perfeito, violento e apaixonado, de tirar o fôlego. Só de lembrar eu começo a salivar. Ele me apertou contra a parede, num canto escuro, e foi ali mesmo que rolou. Ele meteu a mão por baixo do meu vestido e sentiu minha calcinha encharcada, e foi botando a mão na minha buceta. Enquanto isso eu abria o cinto da calça dele com pressa, e nenhum de nós conseguia respirar de tanta vontade. Peguei no pau dele e foi uma das coisas mais gostosas que senti: enorme e muito grosso. E eu que achava que não dava para ficar com mais tesão, estava claramente enganada.
Minha calcinha já tava nos joelhos e a saia do vestido levantada. Coloquei o pau dele para baixo, esfregando na minha buceta e no meu clitóris e tava gostoso para caralho, poucas vezes tinha sentido tanto tesão assim! E esse homem me beijava e respirava pesado no meu ouvido que eu sentia que ele tava tão desesperado por aquilo quanto eu. O desejo era tanto que na segunda esfregada eu senti que não ia aguentar muito tempo, meu corpo inteiro queria gozar. Sentir o pau dele quente e duro deslizando e se lambuzando em mim tava me deixando louca! Na hora que eu já tava chegando quase no clímax ele botou as duas mãos na minha bunda e me puxou um pouco para cima, contra a parede, e finalmente me comeu.
Na primeira entrada eu já tive um puta squirt e senti jorrar litros d’água em nós dois, ali mesmo no estacionamento! Foi uma coisa muuuito gostosa e raríssima. E então ele falou “puta que o pariu, é a mulher mais gostosa do mundo!” Ele metia forte e fundo em mim e eu com um mão arranhando as costas dele, e a outra na nuca, com meus dedos entre os cabelos presos dele, beijando aquela boca como se só ela tivesse a última gota d’água do mundo para matar minha sede!
Muito ofegante eu consegui falar “você que é um gostoso!” enquanto ele continuava me comendo violentamente e me segurando alto, contra a parede, com as pernas em volta do seu quadril. Eu tava quase gozando, na hora que ele falou gemendo “eu vou gozar!” Era tudo o que eu queria ouvir, falei “goza em mim!” Eu gozei na hora e ele veio com tudo, e gemeu alto no meu ouvido. Eu senti tudo, nós dois gozando juntos, água escorrendo e um frio delicioso na barriga. Caralho, que delícia!
Relaxamos e nos beijando começamos a rir, até ver que o segurança do mercado estava chegando. Aparentemente tinha até platéia! Saímos correndo e rindo, mas com as pernas bambas. Deixamos até as compras para trás. Nunca mais voltei naquele mercado.
submitted by afullscreen to sexualidade [link] [comments]


2020.08.08 06:25 TeyfisLM Pequeno desabafo

salve só vim aqui fazer um pequeno desabafo pq não tenho muitos amigos que posso confiar para contar isso e ignorem os erros de pontuação, vou tentar fazer o melhor possivel mas vai estar errado crtz. Enfim, eu conheci uma garota em 2018 e viramos amigos e toda aquela historia e tal e em 2019 a gnt comecou a namorar. Ela me fazia muito feliz e era muito bom as nossas conversas o dia todo e presencialmente conversavamos, coisa de namorados tlgd ? Aí chegou o final de 2019 e ela termina comigo pq comecou a gostar de outro, sim do nada, fiquei triste pra um caralho mas blz vida q segue, e cometi o pior erro da minha vida que foi virar melhor amigo dela. Sofri pra um CARALHO mas gostava muito de conversar com ela e não queria parar de falar com ela, ela era a pessoa que mais me fazia feliz e a única garota com quem podia falar e conversar normalmente pois ja tinha perdido a timidade (sou tímido pra caralho). Aí tals ne, e hoje DO NADA ela me manda mensagem falando que quer que a gnt pare de falar e que eu fazia mal a ela que eu fazia chantagem emocional e eu não entendi nada, eu apenas concordei pq n podia fazer nada e fiquei hoje o dia todo pensando as coisas que eu não fiz por causa da minha timidade e as que fiz que sem querer tenha sido uma chantagem emocional, eu não tenho como saber mas suave, estou agora triste pra um caralho e ela ta postando story usando efeito. Como paro de ser esse fudido e tirar essa vontade diária de morrer ? Tudo dá errado nessa porra de vida, nasci surdo pra piorar e tenho que usar um aparelho auditivo que é melhor doq nada mas sou zuado constantemente pq meus unicos amigos são tudo de igreja e são aquele tipo lá "cristão só na igreja mesmo pq fora..." enfim, vai ta tudo fora de contexto nada ver mas foda-se to falando da boca pra fora e desculpas o incômodo. Boa noite =)
submitted by TeyfisLM to desabafos [link] [comments]


2020.08.07 02:16 nemeuseiveish Ele é um Nice guy ou so está traumazado?

Olá a todos q estão lendo isso, espero q vcs consigam me ajudar aqui <3
Bom, um tempo atrás um dos meus melhores amigos me introduziu a um grupo de amigos dele pelo whatsapp, elas eram pessoas legais e n demorou muito pra eu me aproximar delas e fazer amizade, todos eram bem simpáticos e divertidos mas tinha um garoto nesse grupo q era um pouco mais "atencioso" (acho que posso dizer assim) e gentil comigo, ele era muito fofo e sempre q eu estava meio mal ele vinha me perguntar oq houve e se poderia me ajudar em alguma coisa, até aí tudo bem, começamos a conversar um pouco mais e ele foi ficando cada vez mais carinhoso e fofo cmg oq eu achei bem estranho pq eu não estava acostumado com esse tipo de coisa, quando perguntei pra uma menina do grupo q era amiga dele já fazia 1 ano mais ou menos ela disse q ele era assim com todo mundo e q eu n tinha q me preocupar. Eu deixei a ideia de q ele queria algo cmg aí msm, pq até então ninguém nunca me quis e n fazia sentido alguém como ele me querer. Mas ai passado um tempo ele disse q queria namorar comigo e q ele falaria com meus pais depois da quarentena se eu estivesse preparado, eu nunca tinha estado em um relacionamento antes e por isso n gostei muito da ideia, mas eu gostava dele tbm então nós meio q começamos a namorar a distância (ele mora a mais ou menos 2 hrs da minha casa). Mas eu ainda estava com pé atrás porque ele era um pouco estranho, ele parecia muito com Nice guy em alguns aspectos, às vezes eu sumia do whatsapp porque não estou acostumado em conversar muito com alguém e precisava de um tempo sozinho e ele ficava muito preocupado/"bravo", ficava insistindo para eu mandar fotos pra ele (fotos do rosto, não nudes), e também um pouco antes de começarmos a namorar ele insistia bastante pra que eu deixasse ele me conhece melhor, eu acompanho a série dos nice guys deisde o primeiro vídeo sei mais ou menos como eles são, e algumas das coisas que se garoto fazia se encaixavam pouco no perfil de um Nice guy. 
Eu fui atrás de todas as pessoas do grupo que conheciam ele a mais tempo do que eu e todas elas me disseram à mesma coisa "muitos amigos dele já pararam de falar com ele do nada, por isso ele é assim", sim eu descobri q muitos amigos e amigas dele já tinham acabado com a amizade deles por causa dos namorados ou namoradas abusivos, e eu entendi o pq ele ficava tão paranóico quando eu sumia, ele tinha medo de eu simplesmente parar de falar com ele, nos conversamos sobre isso e trabalhos nisso juntos, e agr quando eu sumo ele n fica preocupado nem paranóico, estamos nos dando muito bem e ele disse q quer falar com os meus pais logo para q possamos oficializar o nosso relacionamento, mas ainda tenho uma pulga atrás da orelha, ele é um Nice Guy ou eu q estou ficando louco e paranóico?
Me ajudem turma pfvr e obrigada a quem leu até aqui pra tentar me ajudar <3
submitted by nemeuseiveish to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.06 04:51 Jay_mndss Meu namorado mantém vínculo com a minha prima e isso me destrói. Como reagir?

Bom, eu nem sei como começar ao certo, mas vou resumir em: minha prima quer tomar meu lugar e meu namorado acha que sou possessiva por não querer que ele tenha vínculo com ela.
(Prima) Vamos lá, eu fui criada junto com uma prima minha, e quando ficamos mais velhas e começamos a gostar de menininhos eu percebi um padrão estranho dela. Ela começou a ficar com muitos ex ficantes meus e puxava muito papo com todos os meus namorados, até que um dia ela mandou foto sem blusa pro meu ex (não mostrava o mamilo, era apenas provocativa) e ele me mostrou na hora e apagou o contato. Depois disso ela recusava alguns caras, mas assim que eu dizia que já fiquei com eles ela simplesmente marcava encontro NA MESMA HORA (sem exagero), além de me dizer pra investir romanticamente em caras e eu ler no celular dela a seguinte mensagem depois pra eles: " quero fazer uma massagem em você, mas tem que ser sem roupa" (fato real tbm).
(Namorado) Eu e ele ficamos há anos, mas sempre foi casual. Basicamente éramos amigos que se pegavam. Um dia no meu aniversário eu recusei ele, pq não tava com cabeça e como é de se esperar minha prima foi pra cima, e ele ficou com ela também. Ele sabia de toda a história, então me afastei dele. Embora fôssemos ficantes só, eu nunca quis beijar ninguém que ela beijasse (pq na real ela é bem porca, discutíamos quando ela dormia aqui pq ela se recusava a escovar os dentes diariamente) e ele foi super grosso, então só parei de falar com ele. Um ano se passou e mesmo bloqueado em tudo ele deu um jeito de me mandar mensagem e disse que queria tentar um relacionamento comigo e sinceramente tava sendo perfeito, eu até esqueci o que havia acontecido antes. Tivemos só uma briga nos primeiros dias pq eu conversava com meu ex (nada demais, ele só disse se sentir inseguro) e sem ele pedir eu apaguei o contato e bloqueei, só pra evitar discussões no futuro, pq eu não fazia questão mesmo.
Mas como perfeição é coisa de filme, esse domingo depois de um dia incrível juntos ele foi ver os status do whatsapp do meu lado e passou o dela. Não invadi a privacidade dele, então nem vi se tinha conversa. NA HORA que vi o número dela salvo ainda eu tive uma crise de ansiedade muito forte, comecei a reviver todas as merdas que ela me fez passar , eu chorava e tremia e ele me disse pra "parar de show por pouca merda". Eu falei pra ele que ele sabia que eu já tinha me afastado uma vez por vínculo com ela e ele disse "se afasta dnv então" e cara na hora eu comecei a juntar minhas coisas pra ir embora. Ele tentou me dar carinho e me acalmar, disse que não conversava com ela, mas que não iria apagar o número dela pq eu tava sendo infantil e fazendo "birra". Sinceramente eu sei que ele conversa com ex-ficantes mas prefiro dar meu voto de confiança pra ele. Ele conversa com quem quiser, a unica pessoa que não quero que ele tenha vínculo é ela, e já disse isso mil vezes. Eu falei que vou acabar tudo entre a gente se for pra ser assim e ele disse que ainda acha que é birra e não vai fazer as coisas do meu jeito e se eu quiser eu termino. Não acho que to sendo possessiva, é só que ela é a única pessoa do mundo que me afeta e ele sabe disso.
To sendo babaca com ele ou sei lá? Eu tento muito ver meu erro nas coisas, mas sinceramente acho que só tô procurando uma desculpa pra permanecer no relacionamento, mas de verdade não posso deixar isso passar, vai ser pior pra mim depois. O que acham?
submitted by Jay_mndss to desabafos [link] [comments]


2020.07.21 06:12 yosoysilvia SOU BABACA POR QUERER COLOCAR MINHA VÓ EM UM ASILO PELO BEM DA SAÚDE MENTAL DA MINHA MÃE???

Hola luba, luna, gatas, editores e turma q esta a ver, como vai a vida? Sei que isso provavelmente está bem grande, porém realmente preciso desabafar e descobrir se tenho sido babaca. Ahhhh, contém um conteúdo um pouco "pesado" demais para crianças, então tirem os irmãozinhos da sala :)
Essa história acontece até mesmo antes de eu nascer.... Sim, realmente preciso contar para contextualizar, prometo resumir. Minha mãe tem um irmão que é 5 anos mais velho (e por sinal, favorito de minha avó) , eles sempre brigaram demais desde muito pequenos. Eles foram criados em uma comunidade da zona sul daqui do Rio de Janeiro e moravam em uma casinha bem simples, e segundo minha mãe , bem aconchegante. Como ia dizendo... Eles tinham umas brigas até q compreensíveis, mas algumas eram extremamente desnecessárias e fúteis. Esse tio meu chamaremos de Claudinei, certo?
Cresceram juntos e tudo estava muito bem, pelo menos era o q parecia.... Aos 15 anos, ele começou fazer coisas ilegais e como tinha reprovado tanto, decidiu sair da escola(ele parou no 6 ano). O tempo foi passando e meus avós começaram a perceber que algo de errado estava ocorrendo com ele, mas mal sabiam da realidade. Ele tinha envolvimento com drogas(mesmo antes de parar os estudos) e acabou criando uma divida enorme com os chefões daquele lugar. Certo dia, esses chefões descobriram o endereço deles e foram ameaça-los que caso não pagassem a divida, Claudinei não teria um fim muito amigável. A dívida que ja passava de 3k foi quitada, porém a família ficou no fundo do poço com isso.
Anos foram passando e ambos os irmãos já estavam na maior idade, infelizmente, Claudinei não saiu desse mundo ilegal e sim se atolou mais nele. Minha mãe trabalhava em uma casa lotérica até terminar a faculdade (ela era gerente lá), já o canalha ficava o dia inteiro coçando a bunda sentado no sofá, e a noite ia para os bailes e espalhar uns filhos pelo mundo. Um tempo se passou e o cafajeste decidiu se emancipar e sair de lá, mas a alegria de ver ele fora daquela casa durou pouco. O CANALHA DO CLAUDINEI NAO CONSEGUIA PARAR EM UM EMPREGO MAIS QUE 5 FU**ING MESES.
Como sempre, conseguiu se aproveitar de minha mãe e a convenceu dar entrada em uma quitinete para ele. Assim foi feito, mas a criatura se desfez dela meses depois para acabar com novas dívidas, adivinha com o quê?
Meus pais se conheceram e foram morar juntos, e como já era de se esperar o cafajeste tambem tentou passar a perna no meu pai, já que sabia q ele possuia um boa condição financeira. Não conseguiu(boooa pai :) )
Desde que nasci, a praga da criatura me ODEIA! Não sei por quê, mas enfim, futuramente também aprendi a não gostar dele. Respeito, porém quero que se fod*.
A GRANDE DISCUSSÃO E O PORQUÊ DE EU ESTAR AQUI:
Minha avó atualmente mora com minha mãe, já que ela está viúva, deficiente visual e sofreu um avc (ela tem 88 anos). Claudinei mora do outro lado da ponte RIO - NITERÓI, mas não sei exatamente onde é, e nem quero.
Lembram da casa da comunidade? Então, minha vó cismou que quer deixar de herança para ele, mesmo depois de tudo, mas ate ai "tudo bem",a casa é dela então faz oq quiser. O grande problema é que ela não reconhece os cuidados de minha mãe e a despreza todo santo dia(e sim, ela está em ótimas condições mentais).
Consigo perceber pelos audios e ligações, e principalmente quando a visito q está extremamente triste com tudo isso e que está afetando diretamente sua saúde mental. Ja disse a ela diversas vezes para colocar-la em um asilo, e que eu mesma posso pagar, porém ela sempre nega e diz que não tenho maturidade suficiente para opinar e decidir sobre isso(tenho 20 anos)
Minha mãe muitas vezes fala na cara de minha vó que vai mandar ela morar com o Claudinei(mesmo nós não sabendo onde q a criatura habita) e minha vó sempre argumenta que ele é homem e não sabe fazer essas coisas de mulher, muito menos cuidar de uma (fala serio né? meu eu feminista chora).
Às vezes acho que estou sendo muito babaca de querer colocar-la em um asilo e está pensando apenas na saúde mental da minha mãe. Às vezes acho que não estou me preocupando também no que minha avó possa vir a sofrer dentro de um lugar como aquele. Meu namorado ja disse que tenho sido uma filha ótima e q eu deveria deixar elas resolverem esse b.o entre si, já que minha mãe não quer minha ajuda.
O que achas? Sou babaca por isso? Só não quero ver minha mãe sofrer novamente! Agradeço a quem leu até aqui, e lubixco, se estiver vendo isso saiba que lhe admiro demais e te acompanho desde a época da Catarina tubaroa hahahaha
Namastê e um bjo pra quem quiser <3
submitted by yosoysilvia to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.19 01:47 Ranmaaa Sou babaca por querer cortar todas as ligações com meu melhor amigo?

Yoo turminha, Luba(se estiver lendo isso), editores maravilindos, gatas e cadaveres de papelão, tudo bom cô6? Bom... há quase três anos atrás eu conheci um menino que é uns dois anos mais velho que eu (vamos chamá lo de Dio) ele tem quase 15 agora e mês que vem vou fazer 13. Nós conversavamos bastante e viramos bastante amigos com o tempo.
Se passou um ano desde que nos conhecemos e começamos a nos afastar um pouco por que eu queria focar mais nos estudos já que era final de ano e ele só ficava brincando. Era quase semana das provas finais e o melhor amigo dele contou pra mim que Dio gastava de mim mas tinha vergonha de falar pois ele era mais velho. Eu obviamente não acreditei e deixei prá la.
Era um mês antes das provas finais e Dio se declarou pra mim e me pediu em namoro. Fiquei nervosa para o um caramba pois ele era meu melhor amigo e eu não sentia nada. Acabou que depois de uns minutos de eu morrendo por dentro para não querer ferir os sentimentos do meu amiguinho, ele acabou me dizendo que era troll. A partir dai ele sempre se declarava e dizia q era mentira e eu simplesmente não ligava.
Depois de uns dias que isso aconteceu tivemos uma conversa séria e ele finalmente falou que realmente gostava de mim só tinha vergonha de falar. Não sabia o que dizer então fui pedir um conselho para a minha melhor amiga(SPOILER: Essa foi a pior idéia que eu pude ter na minha vida). A irmã dessa minha amiga ia fazer uma festa de aniversario então resolvi ir já que ela me convidou e seria a oportunidade perfeita para pedir o conselho.
Chegando lá contei tudo para ela e o ótimo consrlho que a minha preciosa amiga falou foi:" ah aceita o guri em namoro logo! Ele gosta de você e vocês parecem ser bem próximos". Eu disse a ela que não sentia o mesmo e não me sentia nem um pouco preparada para namorar mas resolvi ouvir o que ela disse.
Cheguei em casa, aceitei o namoro. Ele era super fofo e gentil comigo apesar de ser um pevertido as vezes. Eu tava tentando gostar dele mas não deu certo. Assim que a semana de provas começou, eu disse pro Dio o que eu pensava e foi basicamente isso:" Olha, me descupa mas eu quero terminar. N ão me sinto confortavel e muito menos preparada para um relacionamento desses e quero terminar isso o mais rapido possivel para não nos machucarmos tanto.". Ele aparentemente aceitou tudo de boa e ficou fazendo um draminha(SPOILER: Éh obvio q ele não aceitou nada de boa ;_;)
Durante o resto de toda a semana, Dio ficou me flodando mensagens de amor e dizendo coisas como "você só está com vergonha por eu ser mais velho" ou "eu sei que você gostq de mim, mas não quer que seus pais saibam.". Fiquei irritada e pedi para ele parar vàrias vezes mas Dio só mandava mais e mais mensagens então eu resolvi bloquear ele. No início só estava com raiva mas depois de uns dias me senti cupada pois eu só alimentei aquela mentira e eu soube depois que ele reprovou de ano.
Ele era meu amigo e não aguentava o sentimento de culpa então resolvi desbloquear ele depois de uns 5 meses desde aquilo aconteceu e pedi desculpas. Disse que ele poderia me odiar e chingar o quanto quiser, mas ele acabou só dizendo que estava feliz que eu me importava e que ele poderia conversar comigo de novo.
No começo estava tudo TOP, mas foi passando o tempo e ele foi me mandando declarações e mensagens de amor de novo. Eu disse para ele parar, mas mesmo assim ele continuou apesar de ser bem menos. Eu já estava ficando com raiva de novo até chegar ontem que foi a gota d'agua.
Bom... Ontem nós estavamos conversando sobre irmão e tal até ele dizer que nós somos quase irmãos por conversamos tanto. Eu apenas falei que não tinha nada a ver pois só conversavamos sobre memes, jogos e as vezes animes, não tinhamos nenhum tipo de segredo e ele definitivamente não me conhece de verdade.
Dio insistiu em dizer que somos irmãos e já praticamos inc3st0 ano passado. Isso me deixou pistola já que só foi um namorinho de internet que durou literalmente uma semana. Até chegou o ponto em que fiz uma pergunta que seria "a prova de que ele é meu imão de verdade". Perguntei para ele qual é o meu maior sonho mas ele só respondeu coisas como " ser desenhista de hentai"(pois eu amo desenhar)," que eu queria fazer parte de um ecchi" ou que "ter um namorado de anime já que ninguém da vida real te agrada". Obviamente fiquei com ódio no coração e pedi para ele falar sério.
Dio ficou apenas enrolando falando coisas estranhas e susgestivas até eu ameaçar bloquear ele. Finalmente o guri parou de falar coisa estranha e começamos a falar sério de verdade. O meu sonho para mim é algo muito importante que eu quero realizar um dia então resolvi confiar nele para contar isso. O meu sonho é que (vou contar aqui mesmo pq ningurm me conhece ne) Eu AMO com todas as minhas forças música e o meu objetivo é um dia ser guitarrista profissional e entrar para uma banda. Ele simplismente leu a mesagem e disse que depois ia contar o sonho dele jà que esse era nosso acordo.
Se passou mais de 30 min e ele não falava até eu ameaçar de dar block de novo. Depois de tanto tempo ele contou que o sonho dele é " Estar abtaçado contigo em uma praia a observar um belo pôr do sol enquanto nosso cachorro corre na areia com os nossos filhos. Eu... Fiquei com ódio extremo e a minha vontade era de ir na casa dele e passar a faca no golfinho dele. Dio ficou falando que não sabia o motivo de eu estar com tanta raiva (mesmo eu tendo falado milhares de vezes que para ele para com aquilo). Apenas disse que està obvio o motivo de estar com raiva e até agora apenas visualizo as mesnsagens dele. Estou pensando em bloquea lo de todas minha redes sociais.
Entãaao.... Eu acho que na parte do namoro nós dois fomos babacas. Motivo: Eu por escutar um conselho idiota e iludir ele. Dio: Por mesmo sabendo que eu não sinto o mesmo, continuou falando coisas estranhas e tentando me convencer a gostar dele. E na segunda parte? Eu sou babaca por querer difinitovamente cortar todas as nossas relações ou ele é babaca por continuar falando coisas estranhas?
submitted by Ranmaaa to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.07 17:09 lokiable Eu estou errado? Não consigo mais viver com isso!

Aviso: Algumas especificidades foram mudadas pra manter a privacidade dos envolvidos.
CONTEXTO
Faz alguns meses que uma colega de trabalho chamada Clara me convidou pra trabalharmos num projeto juntos de podcast que duraria por tempo limitado durante a exibição de uma série de tv. Nós faríamos a cobertura dessa série de TV.
Durante a fase de planejamento rolou tudo muito bem, Clara é uma pessoa com muito mais tempo na área que eu, mais experiência e mais organizada. Ela tomou iniciativa de procurar patrocinadores, o que acabou não se concretizando. Mas por isso me senti muito grato pela oportunidade, ainda mais porque acompanhava o trabalho dela antes. Isso nos deu a chance de nos aproximar e formar um grupo de amigos que sempre se via, quase toda semana, na casa dela.
O PROBLEMA
Quando o projeto começou a rolar, os resultados não estavam sendo tão bons em número, mas ia rolando. Como eu faço várias vezes nos meus próprios projetos, se o resultado não vai indo bem eu ajusto, mudo horários, repenso o formato. E foi isso que sugeri na época e fizemos várias vezes. Ela concordou.
Em determinado dia, perto do fim, Clara pediu pra adiar o dia marcado de gravarmos. Tudo bem.
No dia seguinte, Clara disse não estar muito afim de trabalhar e queria descansar. Eu compreendi, e acabou que oo grupo de amigos (comigo) se reuniu na casa dela pra conversar e jogar. O problema é que isso deixou a gravação pro dia que precisava sair (muito em cima da hora).
No terceiro dia acordei me sentindo muito mal, mandei mensagem pedindo pra atrasar algumas horas e eu tentaria descansar mais um pouco. Passaram as horas e não melhorei. Ela me manda mensagem "se não for gravar hoje me avisa que eu gravo sozinha aqui logo", e eu respondi "se estiver ok pra você, tudo bem!". E foi o que ela fez.
Mas logo em seguida me mandou uma série de mensagens, insinuando que eu não era responsável, que havia mentido e não fui gravar porque queria produzir outro conteúdo que me renderia mais (o que não era verdade). Chegou até a dizer "A gente é amigo e tal, mas profissionalmente não rola mais". Eu imediatamente pedi desculpas porque além de me sentir mal fisicamente, me sentia culpado por ter deixado ela na mão. Demorou alguns minutos pra eu entender que não estava errado, pelo menos não na minha percepção.
Nos dias seguintes tentei conversar com ela, mas ela mal respondia dizendo estar ocupada, e não parecia se preocuoar com o ocorrido.
Sondei alguns amigos do grupo, individualmente, relatando que estava preocupado com ela estar chateada comigo. E isso resultou neles comentarem com ela, e ela me procurar pra conversarmos brevemente. Tudo que ela disse foi: "Ah, foi um mal entendido. Mas tá tudo bem." E eu: "Ah, que bom. Então tudo bem."
Mas porra, espera. Pra mim não tá tudo bem!
Eu pedi desculpas na conversa por me sentir culpado, e isso é erro meu. Mas quando eu disse que estava mal, o que ela fez no dia foi pensar o pior de mim e me acusar diretamente de ser irresponsável e passar ela pra trás. Isso não é algo que esperaria de uma amiga. Quando penso, minha maior irresponsabilidade em todo projeto foi chegar bem em cima da hora em alguns dias, o que não considero um pecado uma vez que era eu quem ia na casa dela e moramos em São Paulo. Eu acho que ela deveria desculpas!
ESTOU ERRADO?
Ainda a encontro esporadicamente por compartilharmos alguns amigos, mas não é a mesma coisa pra mim.
Meu posicionamento é de querer me afastar dela, e só ser social profissionalmente. Porém, esse assunto inacabado me incomoda até hoje.
Devo procurar ela e conversar sobre o assunto, mesmo meses depois do ocorrido?
Contei a história pra Ana (uma amiga) que julgo muito sensata, e não conhece Clara, e Ana me sugeriu que deixasse pra lá. Porque algumas pessoas simplesmente não tem a "mente leve" e estão sempre pensando o pior sobre os outros.
Mas deixar pra trás não é fácil. Fico angustiado com isso até hoje. Talvez por não ter muitos amigos e essa treta separar o único grupo de amigos que tive desde que me mudei pra cidade. Queria uma resolução, mas não sei se falar com ela resolve ou é bom.
Ps1: Ela e eu temos namorados e todos saíamos juntos. Sempre houve respeito entre a gente. Então isso nunca pareceu, pra mim, um dos problemas.
Ps2: Os resultados que eu não estava achando muito bons e queria melhorar, reparei depois, que eram resultados que ela tinha normalmente. Então uma das coisas q cogitei foi que ela se sentia diminuída de alguma forma pelas minhas observações. Durante o projeto, pareceu que eu era o chato dos números, mas pensando pra trás lembro de várias vezes em conversa casual ela se comoarar com "ex-amigos" que tinham resultado pior que ela.
Ps3: Cláudio (amigo do grupo de amigos), amigo mais dela que meu, começou a agir de forma muito hostil perante a mim nas redes sociais depois do ocorrido. Pode haver mil motivos, que eu não sei. A questão é que já vi eles falando mal de várias pessoas nas reuniões de amigos, pessoas com quem eles até são cordiais pessoalmente, mas pelas costas... Então não consigo parar de pensar que agora eu posso ter me tornado uma dessas persona non grata.
Ps4: Poucas semanas depois do ocorrido, depois ela dizer que estava tudo bem, Cláudio saiu do grupo do Whatsapp da galera e logo Ana também saiu. Perguntada o que houve, ela se esquivou da resposta. Mas dias depois o grupo de amigos se reuniu na casa dela novamente, sem me chamar.
Não consigo pensar na coisa mais terrível que eu fiz pra merecer isso. Será que eu fiz alguma merda sem perceber e ninguél me disse? Eu fui cortado do grupo por uma narrativa que ela criou? Eu fui inserido no grupo por puro interesse profissional e agora sou inútil?
O que devo fazer?
submitted by lokiable to desabafos [link] [comments]


2020.07.06 06:08 Dinossaubrina Sou a babaca por querer terminar meu namoro (ou não)?

Bom, vocês podem estar bem confusos por causa do título, mas a situação é o seguinte: namoro com meu namorado (vou chamar ele de Rodolfo) a 6 meses e no momento ele está internado numa clínica de reabilitação. Antes que o ponto principal da história comece, acho justo dar a vocês um contexto geral sobre o nosso relacionamento, ok?
É uma longa história, mas resumindo, ele fuma maconhss já faz uns 4 anos mas ultimamente ele tinha um comportamento agressivo, então um certo evento (explico daqui a pouco) foi a gota d'água para a família dele, que o colocou lá( ele já está lá fazem 3 meses)
Em geral sempre somos muito carinhosos um com o outro e extremamente preocupados com o bem estar dos dois. Quando brigávamos, sempre conversávamos sobre o assunto com muita calma e carinho. Nunca tivemos problemas muito grandes além de ciúmes e inseguranças da minha parte. Sempre fomos muito abertos sobre tudo da nossa vida antes do outro e como queríamos que fosse o nosso futuro.
Tudo começou com uma dm que eu vi no Messenger dele - no aniversário dele - com um menino, onde estava escrito "apaga as mensagens para a sua namorada não encher o saco". Na conversa eles trocavam ideias, fotos sensuais e muitos elogios. Conversamos sobre o assunto, ele me disse que não tinha a intenção de realmente flertar com ele, apesar de ter revelado alguns fatos sobre o corpo dele e ter mandado algumas fotos dele, isso além dos elogios entre eles, mas no final das contas conversamos como sempre fizemos e acertamos tudo, mas do mesmo jeito é um assunto que causou certo abalo na relação.
Um tempo depois, minha cunhada achou um body escondido no guarda-roupa dele e do irmão, não era de ninguém que conhecíamos e muito menos nosso. Meu cunhado dizia que não era dele, nem meu namorado.. ele ainda me disse que se eu quisesse insistir naquela tecla, apesar dele já ter dito que não era dele nem sequer sabia do body, ele iria a fundo comigo naquela história, mas acabou que por querer evitar brigas entre ele e o irmão, preferi deixar essa história pra la.
Ele foi expulso de casa e veio procurar abrigo na minha quarentena correndo solta de mãos dadas com o coronga e foi quando ele entrou numa briga com meu irmão (que nem sequer mora comigo) e no meio disso tudo sofri uma agressão do meu irmão (quebrei meu quadril e rompi um ligamento, mas até aí tá tudo bem) . O fato de Rodolfinho ter me defendido ao ponto de sair na mão com meu irmão foi o auge para a família dele, que decidiu colocá-lo na clinica mesmo sendo o pior pesadelo dele. Foi um grito de socorro pra eles Mais tarde descobri pela mãe dele que ele estava sendo extremamente agressivo com a família, que quebrava coisas dentro de casa, que ele gritava o tempo todo com eles e ainda mais que talvez eu ainda não saiba. Realmente me parecia uma pessoa completamente diferente do Rodolfo que eu conhecia, aquela pessoa calma e tranquila que resolvia tudo na conversa e no carinho comigo. Dei a minha palavra a ele que eu estaria lá pra ajudá-lo a passar por essa fase difícil que seria a reabilitação, e que não desistiria dele, já que o amo e ele faria o mesmo por mim.
isso tudo foi contexto, agora vamos para a parte real da história, que é o que tenho a duvida se estou sendo babaca em pedir o término, ou não***
Infelizmente ele não se conforma que lá ele não pode fazer o que ele "gosta" que seria fumar, beber, etc. Nisso ele misturou alcool gel com suco, e tomou.. Obviamente que isso gerou uma punição de duas semanas sem contato externo (ligação pra família) e o moço que cuida dele me disse que o fato de eu estar indo lá pra falar com ele, estava sendo uma distração, que ele estava muito acomodado com a situação onde ele se encontrava. Todo esse "evento" me deixou extremamente irritada, pelo fato dele já estar lá a 3 meses, achávamos que ele já teria entendido que ele teria de parar com tudo aquilo sabe?
Todos me dizem que nossa relação não tem futuro, que ele nunca vai mudar, que é uma pessoa problemática e que isso não vai me ajudar em nada. Isso me gera muita dúvida, afinal ouvir isso de basicamente todas as pessoas que você leva a opinião em consideração.. Mexe com a sua cabeça
Meus pensamentos se divide entre "devo terminar por estar pensando sobre o meu futuro e no que será bom pra mim, mesmo que me machuque profundamente e talvez atrapalhe todo o processo de recuperação dele" e "devo ser leal a minha palavra, ajudar ele a se recuperar como prometi e honrar meu sentimento continuando com esse namoro, mesmo escutando tudo isso de todos"
Detalhe, tenho 17 anos e ele 18.. Tínhamos planos de morarmos juntos na metade do ano que vem numa casa do meu avô em Praia Grande, já estava tudo encaminhado, até que a pandemia e a quarentena nos pegou de surpresa além de todo o fato clínica e briga daqui de casa. A mãe dele deixou bem claro que nos ajudaria no que fosse possível, já que na visão dela eu sou uma influência positiva na vida dele e sendo basicamente a única pessoa que ele escuta, eu "manteria ele em controle"
Sempre tivemos um espaço amplo pra podermos conversar, antes mesmo de namoramos, costumávamos sentar e conversar sobre cada passo. Até costumávamos a brincar que mesmo que algum dia ocorra um término, voltaríamos um pro outro de qualquer jeito. Estou muito indecisa e não tenho como conversar com ele devidamente até que ele saia de lá, eu jamais conseguiria ter uma conversa decente com apenas 15minutos de ligação em um dia da semana, que divido com a mãe dele aliás..
Realmente amo muito ele e vejo sim meu futuro ao lado dele, mas com tantas opiniões de pessoas que me importo tanto, me fazem ter dúvidas enormes, não sobre meu sentimento, mas o estado e o rumo da nossa relação
Agora o questionamento é: vou estar sendo babaca por sequer pensar em terminar ou se pedir o término? ou devo continuar o relacionamento e esperar mais 4 meses nessa pilha de pensamentos até podermos sentar e conversar sobre o assunto? .
(porfavor não tentem me dar qualquer visão positiva na questão do meu irmão, já que desejo que ele apodreça no fundo do fogo do inferno)
pequeno detalhe, ele tem duas ligações por semana de 15 minutos, caso eu terminasse com ele agora, seria ou por ligação ou por carta que eu entregaria para a mãe dele e ela levaria lá quando fosse levar itens básicos pra ele e tals
Peço mil desculpas pelo texto enorme e talvez pela falta de nexo, mas não durmo bem já faz algumas semanas graças a essa indecisão, amo vocês e ajuda é bem vinda <3
submitted by Dinossaubrina to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.22 03:20 Joao-Leao-277 Fiz minha namorada cortar relações com o melhor amigo dela (podem julgar e dar conselhos)

Olá a todos!
Bom, em 2017 eu comecei a namorar uma garota, conheci ela numa festa de aniversário de uma amiga e lá mesmo nós percebemos que rolou um clima entre a gente, infelizmente ela era de São paulo capital e eu do interior desse mesmo estado, começamos a namorar a distancia depois de alguns meses, gastávamos em média uns 400 reais sempre que iriamos nos ver.
Enfim, depois de algum tempo no relacionamento nós decidimos trocar as senhas dos nossos facebooks (não foi por falta de confiança nem nada, e eu apenas dei minha senha pra ela, nunca exigi que ela faça o mesmo, mas ela fez voluntariamente), então eu não me aguentei e fui ver a conversa dela com esse amigo, eu já sabia que ela gostava muito dele no passado e já chegou a querer namorar com ele, por isso não resisti e fui olhar a conversa deles, a principio era tudo normal, até eu chegar um pouco mais afundo no chat, me deparei com várias insinuações sexuais da parte dele, mas o que me machucou foi ver que muitas vezes ela retribuía, e as vezes ela mesma tinha a iniciativa, além dessas insinuações eu vi que ele tratava ela muito mal, xingando e desrespeitando, xingamentos pesados que acabavam com a autoestima dela, mas pra ele era ''brincadeira''.
Foi ai então que eu não me aguentei e liguei pra ela de madrugada, mostrei os prints das conversas entre eles, disse que me senti traído( eles nunca se viram pessoalmente só tinham amizade pela internet, apesar de ser oito anos de amizade ele nunca quis encontrar ela, a casa deles ficavam mais ou menos umas 3h de viagem pegando ônibus e metro), mesmo que as insinuações sexuais fossem só virtuais, eu ainda fiquei muito abalado e confrontei ela dizendo que ela deveria escolher entre namorar comigo e ser amiga dele, ela me disse que as conversas que eu vi eram de meses atrás (de fato eram, mas ela passou no minimo dois meses no começo do nosso namoro falando essas coisas com ele) e que eles não tinham mais aquele tipo de conversa e que eu não posso fazer ela abandonar um amigo só porque eu quero porque assim eu seria um namorado controlador, mas eu disse que ela também não poderia me obrigar a namorar com ela, e que enquanto ela tivesse relações com pessoas como aquele cara que fazia mal pra ela, eu não ficaria com ela, ela chorou muito, mas decidiu ficar comigo, bloqueou ele em todas as redes sociais, ele tentou falar comigo mas eu não dei bola.
hoje em dia a gente tem um bom relacionamento, eu demorei pra parar de ficar triste com ela, e até hoje ainda tenho essa cicatriz, mas eu sinto que ela me ama muito e eu também a amo.
enfim, eu fui o babaca por ter feito ela terminar a amizade com o melhor amigo?
submitted by Joao-Leao-277 to desabafos [link] [comments]


2020.06.21 23:32 Joao-Leao-277 Fui babaca por fazer minha namorada cortar totalmente o contato com seu melhor amigo?

Olá a todos!
Bom, em 2017 eu comecei a namorar uma garota, conheci ela numa festa de aniversário de uma amiga e lá mesmo nós percebemos que rolou um clima entre a gente, infelizmente ela era de São paulo capital e eu do interior desse mesmo estado, começamos a namorar a distancia depois de alguns meses, gastávamos em média uns 400 reais sempre que iriamos nos ver.
Enfim, depois de algum tempo no relacionamento nós decidimos trocar as senhas dos nossos facebooks (não foi por falta de confiança nem nada, e eu apenas dei minha senha pra ela, nunca exigi que ela faça o mesmo, mas ela fez voluntariamente), então eu não me aguentei e fui ver a conversa dela com esse amigo, eu já sabia que ela gostava muito dele no passado e já chegou a querer namorar com ele, por isso não resisti e fui olhar a conversa deles, a principio era tudo normal, até eu chegar um pouco mais afundo no chat, me deparei com várias insinuações sexuais da parte dele, mas o que me machucou foi ver que muitas vezes ela retribuía, e as vezes ela mesma tinha a iniciativa, além dessas insinuações eu vi que ele tratava ela muito mal, xingando e desrespeitando, xingamentos pesados que acabavam com a autoestima dela, mas pra ele era ''brincadeira''.
Foi ai então que eu não me aguentei e liguei pra ela de madrugada, mostrei os prints das conversas entre eles, disse que me senti traído( eles nunca se viram pessoalmente só tinham amizade pela internet, apesar de ser oito anos de amizade ele nunca quis encontrar ela, a casa deles ficavam mais ou menos umas 3h de viagem pegando ônibus e metro), mesmo que as insinuações sexuais fossem só virtuais, eu ainda fiquei muito abalado e confrontei ela dizendo que ela deveria escolher entre namorar comigo e ser amiga dele, ela me disse que as conversas que eu vi eram de meses atrás (de fato eram, mas ela passou no minimo dois meses no começo do nosso namoro falando essas coisas com ele) e que eles não tinham mais aquele tipo de conversa e que eu não posso fazer ela abandonar um amigo só porque eu quero porque assim eu seria um namorado controlador, mas eu disse que ela também não poderia me obrigar a namorar com ela, e que enquanto ela tivesse relações com pessoas como aquele cara que fazia mal principalmente pra ela, eu não ficaria com ela, ela chorou muito, mas decidiu ficar comigo, bloqueou ele em todas as redes sociais, ele tentou falar comigo mas eu não dei bola.
hoje em dia a gente tem um bom relacionamento, eu demorei pra parar de ficar triste com ela, e até hoje ainda tenho essa cicatriz, mas eu sinto que ela me ama muito e eu também a amo.
enfim, eu fui o babaca por ter feito ela terminar a amizade com o melhor amigo?
submitted by Joao-Leao-277 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.21 23:21 Joao-Leao-277 Fui babaca por fazer minha namorada cortar totalmente o contato com seu melhor amigo?

Olá a todos!
Bom, em 2017 eu comecei a namorar uma garota, conheci ela numa festa de aniversário de uma amiga e lá mesmo nós percebemos que rolou um clima entre a gente, infelizmente ela era de São paulo capital e eu do interior desse mesmo estado, começamos a namorar a distancia depois de alguns meses, gastávamos em média uns 400 reais sempre que iriamos nos ver.
Enfim, depois de algum tempo no relacionamento nós decidimos trocar as senhas dos nossos facebooks (não foi por falta de confiança nem nada, e eu apenas dei minha senha pra ela, nunca exigi que ela faça o mesmo, mas ela fez voluntariamente), então eu não me aguentei e fui ver a conversa dela com esse amigo, eu já sabia que ela gostava muito dele no passado e já chegou a querer namorar com ele, por isso não resisti e fui olhar a conversa deles, a principio era tudo normal, até eu chegar um pouco mais afundo no chat, me deparei com várias insinuações sexuais da parte dele, mas o que me machucou foi ver que muitas vezes ela retribuía, e as vezes ela mesma tinha a iniciativa, além dessas insinuações eu vi que ele tratava ela muito mal, xingando e desrespeitando, xingamentos pesados que acabavam com a autoestima dela, mas pra ele era ''brincadeira''.
Foi ai então que eu não me aguentei e liguei pra ela de madrugada, mostrei os prints das conversas entre eles, disse que me senti traído( eles nunca se viram pessoalmente só tinham amizade pela internet, apesar de ser oito anos de amizade ele nunca quis encontrar ela, a casa deles ficavam mais ou menos umas 3h de viagem pegando ônibus e metro), mesmo que as insinuações sexuais fossem só virtuais, eu ainda fiquei muito abalado e confrontei ela dizendo que ela deveria escolher entre namorar comigo e ser amiga dele, ela me disse que as conversas que eu vi eram de meses atrás (de fato eram, mas ela passou no minimo dois meses no começo do nosso namoro falando essas coisas com ele) e que eles não tinham mais aquele tipo de conversa e que eu não posso fazer ela abandonar um amigo só porque eu quero porque assim eu seria um namorado controlador, mas eu disse que ela também não poderia me obrigar a namorar com ela, e que enquanto ela tivesse relações com pessoas como aquele cara que fazia mal principalmente pra ela, eu não ficaria com ela, ela chorou muito, mas decidiu ficar comigo, bloqueou ele em todas as redes sociais, ele tentou falar comigo mas eu não dei bola.
hoje em dia a gente tem um bom relacionamento, eu demorei pra parar de ficar triste com ela, e até hoje ainda tenho essa cicatriz, mas eu sinto que ela me ama muito e eu também a amo.
enfim, eu fui o babaca por ter feito ela terminar a amizade com o melhor amigo?
submitted by Joao-Leao-277 to EuSouOBabaca [link] [comments]


2020.06.21 20:43 Wooden_Statistician3 Tudo que falo só piora e só queria que voltasse a ser como era antes

Desabafo. Há alguns meses casei, depois de menos de um ano de namoro. Apressado? Com certeza. Mas as circunstâncias meio que pediam. Ela veio de uma família extremamente quebrada e tóxica. Vivia sozinha há alguns anos, dependendo de auxílios de faculdade, parentes que só sabiam reclamar de estar ajudando, etc. Ela tem depressão profunda, e não tinha nem como se tratar.
Quando a conheci ela estava namorando, mas um namoro só de fachada, pois na verdade ele era abusivo e não deixava ela terminar, sob ameças contra a própria vida por parte, e à vida dela por partes de parentes dele. Durante boa parte da sua vida, a chamaram de feia, estranha, etc. Na faculdade as coisas mudaram, e começaram a enxergar a sua beleza, ficou com vários, mas sua auto-estima baixou tanto ao longo da vida que ela aceitou namorar com essa cara, sem nunca de fato querer, e acabou presa nesse relacionamento por mais de 2 anos.
Eu só tive uma namorada, há mais de 10 anos, e um crush forte até alguns anos atrás, o qual acabou em inimizade total. Sempre percebi que não era interessante pra nenhuma garota, na aparência, e nunca tive qualquer desenrolar pra "chegar". Depois de namorar, tomei gosto, e tentava. Porém do meu jeito tímido e, claro, ineficiente. Anos disso me fizeram perceber que não havia porque eu ficar insistindo em "achar alguém", se fosse acontecer seria no dia-a-dia normal, ou quando eu realmente me melhorasse como pessoa. Foquei então na minha educação e no profissional.
Um dia ela, ainda em namoro abusivo, falou comigo pelo Whatsapp, tarde da noite. O meu racional dizia pra eu ir dormir, pois a pessoa responsável e profissional dorme cedo e acordar cedo (ou assim deveria, pelo que dizem). Mas algo me fez querer falar com ela, mesmo que ainda de forma um tanto fria, admito. Papo vai, papo vem. Como parecia ser só uma amizade, eu falei abertamente com ela, inclusive quando ela perguntou de relacionamentos/crushes passados.
Semanas depois, ela termina o namoro e diz que gosta de mim. Pela primeira vez em muitos anos volto a sentir aquilo que senti no primeiro namoro. E ficamos, e namoramos, e tudo foi muito intenso. E então casamos, para que ela pudesse ter acesso ao meu plano de saúde como dependente e tratar, principalmente, da depressão, pois várias noites a vi chorar pelo seu passado que ainda atormenta o seu presente: ela não consegue nem mais estudar e boa parte das tarefas domésticas ficam pra mim. Mas havia tudo pra melhorar, não havia? Infelizmente, tudo mudou um dia.
Ela acordou e disse que sonhou que eu falava que eu achava aquele meu crush forte (Fulana) de alguns anos antes mais bonita que ela. Depois de algumas horas, como se perguntasse algo banal, ela perguntou se achava mesmo. O problema: eu considero a Fulana bonita, mesmo nível, mas o sentimento que existe é pela minha esposa e, obviamente, ela me é "a mais bonita". Mas ela não aceitava esse tipo de resposta, ela queria que eu respondesse de forma crua. Eu, que sempre procuro ser honesto, correspondi. Como considero as duas de mesmo nível, foi difícil. Conseguia lembrar de momentos onde uma estava mais bonita que outra, mas não chegava a "vencer". Uma certeza eu tinha, e continuo tendo, minha esposa tem a maior capacidade, ou seja, consegue ser a mais bonita. Mas ainda assim minha resposta não foi suficiente: ela dizia que eu estava enrolando, com medo de dizer a verdade. Não entendi do que deveria ter medo afinal, pra mim, a resposta mais direta e crua não fazia a menor diferença nos meus sentimentos para com ela. E, se eu estivesse raciocinando direito eu teria percebido a armadilha bem ali na minha frente, mas eu caí nela quando ela novamente exigiu a resposta direta e crua: ou ela ou a Fulana. E eu falei a Fulana.
E, de repente, ela começou a me atacar. Dizendo que eu acho a Fulana "linda e maravilhosa" e ela feia (quando pra mim ambas tão no mesmo nível, e pra mim ela vai ser sempre a mais bonita, pois é ela que eu amo). Que meu sonho era que tivesse dado certo com a Fulana, mas que ela foi o que deu (quando ela, e somente ela, que conseguiu reacender meus sentimentos, mesmo quando tudo dizia que não valia a pena sonhar com isso (afinal ela tinha namorado, etc.). Eu tentava explicar meus sentimentos, mas nada adiantava. A frustração, a angústia tomou conta e então, a raiva. Raiva de como algo que estava morto no passado, voltou pra me assombrar. Raiva de que algo completamente irrelevante no meu presente, e portanto nosso presente, estava ali, destruindo nosso casamento. Pois ela começou a querer ir embora, anular casamento, se separar. E na tentativa de melhorar as coisas, eu sempre piorava. Acabei falando palavras (que pra mim não teria tanto significância se ela dissesse), mas infelizmente pra ela tinha: disse que ela estava sendo "idiota" por insistir tanto nas afirmações desses ataques e desconsiderar completamente o que eu sinto e falava. Só estava tendo "amenizar" a situação, segundo ela. E que no fundo, eu queria alguém """melhor""" que ela.
Isso foi uma tarde. Ela eventualmente parou quando percebeu o quão mal eu estava. E claro que eu estava. A pessoa que eu amo e por quem eu faço tudo, praticamente "inventou" um motivo pra me atacar. E daí que numa análise crua e racional, naquele ponto específico da história, a Fulana havia "vencido" no concurso de beleza entre as duas. Grande bosta. Minha esposa continuava sendo bonita, e pra mim e meu amor, a mais bela. Era ela que realmente havia gostado de mim, era ela que quis casar comigo, era ela que me acompanhava nos filmes de sábado à noite, era ela com eu me via vivendo pra sempre do lado. E de repente, parecia que nada mais disso iria se tornar realidade e por quê? Por algo que nem ao menos mudava o que eu sentia em relação a ela e nunca iria.
Durante o final da noite, eu tentei dormir, mas não conseguia. Tentei assistir vídeos de "como lidar com a pessoa amada em depressão". E ela começou a chorar do meu lado, muito. Larguei o vídeo, abracei-a. E ali as gentes se aceitou novamente. Ou assim parecia, porque poucos minutos depois, ela pergunta, inocentemente, se eu acho minha irmã mais bonita que ela. E o fato é, se eu dissesse que não seria uma bela duma mentira, e mesmo que eu achasse, ela diria que eu estava falando aquilo só pra agradar. E eu, O idiota, achando que estava tudo bem de novo, respondi que sim. E novamente ela começou a me atacar. E POR CAUSA DA MINHA IRMÃ!?
Atualmente eu me considero forte pra aguentar essas coisas, mas não dava mais. Ela quebrou minhas defesas com esses ataques. E tudo que ela me falava soava como "EU TE ODEIO". E eu aceitei esse ódio dela, pois, afinal, ela devia estar certa. Eu sou uma pessoa com 30 anos, aparência ok, mas que não tem amigos e só teve uma namorada antes dela. É óbvio que tinha algum problema, o problema de que eu era detestável. Eu sempre tentei demais ser prestativo e tudo mais, mas quando o assunto são sentimentos eu nunca consegui transmitir isso. Abraço minha mãe quatro vezes ao no: aniversário dela, o meu, dia das mães e natal. Sempre um abraço bem "desengonçado". Eu noto isso, mas sempre foi assim, e eu não sei mudar. Eu sei o que eu sinto, mas minha demonstração é e sempre vai ser insuficiente. E por isso todos ou acabam por me detestar ou se afastar de mim. Mas eu realmente pensei que com ela seria diferente.
Alguns dias se passaram e as coisas até foram melhorando. Até que cai tudo de novo. Ela conta pra uma pessoa, que mal conhece, que eu achava que ela na praia não ficava tão bem quando dentro de casa. Sim, eu havia falado algo do tipo, quando no começo da discussão ela pedia pra eu ser mais direto. Oras, ela tem umas manchas, gordurinhas a mais, etc. do que a fulana. Eu me sinto menos bonito do que um cara que não é assim, mas nem por isso me acho feio, ou ache vou sempre ser inferior. É só eu cuidar disso. E se não cuido, é porque tenho outras prioridades. Da mesma forma com ela. Não acho ela feia, nem menos bonita, só relatei o óbvio. E se ela não quiser cuidar, ou não conseguir cuidar, não é problema pra mim. Eu casei com ela pelo pacote completo. E assim como eu, ela também vai com o tempo perder pontos na aparência. E assim como eu, espero que ela ainda me ame, ainda me ache bonito, com eu continuarei amando ela e achando bonita. Mas não importa eu falar isso. Pois ela quer sempre dizer que tudo isso que eu falo é balela, enrolação, agrados, etc.
Pelo meu jeito detestável de demonstrar sentimento ela perdeu totalmente a confiança nos meu sentimentos, a ponto de nada o que eu falo valer mais. Ou talvez, no fundo, ela espera que eu seja pra sempre tão bonito quando ela acha atualmente, e quando eu não foi mais, ela vai me trocar por alguém que envelheça melhor. Mas se eu falo isso pra ela, ela bate o pé pra dizer que pra ela é completamente diferente, que o sentimento dela é real, mas que o meu? O meu é de mentira, porque assim ela decidiu. E ela ainda diz que eu mereço alguém ""melhor"". Mas o fato é, que ela se estiver certa, o que eu mereço é desaparecer. Pois o meu eu que ela odeia, é o único eu que existe. E se ela não é capaz de amar esse meu eu, e insiste em brigar, está mais que na hora de ela admitir o que está bem na frente dela: ela não me ama. Não mais. Só espero que não tenha sido nunca. Porque pior que ver tudo se destruindo e não poder fazer nada, pois nada do que eu falo impede, pelo contrário, piora, e ficar calado não é opção, então que pelo menos não tenha sido tudo uma mentira.
E hoje ela do nada veio falar que tá com medo de engordar, pois, segundo ela, eu falei que iria querer outra se assim acontecesse. Eu nunca falei isso, assim como nunca falei outras coisas com as quais ela vem me atacando. Mas o pouco que eu digo, se transforma num muito na cabeça dela. Eu não aguento mais. Eu peço pra ela parar, mas ela insiste em, nas palavras delas, "me colocar contra a parede pra botar as verdades pra fora". Mas do que adianta isso, quando ela já decidiu o que é verdade e o que é mentira? Nada, e por isso eu só queria que ela parasse. Que não pelo amor que ela supostamente sente por mim, mas pelo menos em consideração a tudo que eu fiz por ela.
Pois agora eu já não sinto nada. Um nada que não me permite nem ao menos dizer o que sinto por ela. Mas enquanto eu quero acreditar que ainda amo ela, ela insiste. Eu novamente pedi pra ela parar, e afirmei que não sei mais se gosto dela, mas que se ela realmente me ama, ela tinha que parar, e me deixar sentir novamente. Mas meu medo é que ela continue (ela está passeando com uma amiga nesse momento), pois se ela continuar o pior vai acontecer. O amor vai virar ódio. A vida vai virar morte. Figurativamente (apesar de temer, e muito, que aconteça literalmente para ela).
submitted by Wooden_Statistician3 to desabafos [link] [comments]


2020.06.21 02:54 SnowAhFlake parte treix da menina que queria sair de casa e parar de falar com a familia

Bom, estou aqui pra atualizar vocês novamente, confesso que queria que o luva tivesse dado a opinião dele pois acho ele muito sensato (puxando saco)
post original: https://www.reddit.com/TurmaFeira/comments/h0h22p/sou_babaca_por_querer_parar_de_falar_com_a_minha/
parte 2: https://www.reddit.com/TurmaFeira/comments/h94et3/atualiza%C3%A7%C3%A3o_do_caso_da_menina_que_queria_parar_de/
Masss, continuando, o meu sogro como havia dito conseguiu um bom advogado e mesmo que em pouco tempo já consegui que meu pedido de emancipação seja analisado, atualmente eles estão vendo se eu tenho condições de me sustentar ou se eu tenho um lugar para ir, como ainda sou de menor existe alguns contra temos, como meus documentos e a matricula da escola que estão no nome da minha mãe, minha sogra deu a ideia de casar com meu namorado no cartório para transferir os documentos para ele já que ele é de maior (ele tem 18 e eu vou fazer 17), ele disse que mesmo que a gente acabe terminando ele iria me ajudar até eu me estabelecer, pois ele tem um carinho enorme por mim e prometeu para o meu avô que cuidaria de mim independente do que acontecesse, e sinceramente não sei o que ele está fazendo com uma pessoa como eu, mas eu que não vou largar esse homem.
bem, eu voltei pra casa e minha mãe mudou de atitude comigo depois que viu o post no reddit, minha vó me pediu desculpas e elas estão me tratando bem, e isso me fez pensar se eu devo continuar ou não, e minha mãe disse que vai mandar meu irmão para morar com o pai, estou em duvida, mas talvez isso seja só uma fachada pra eu não sair de casa, estou meio perdida e não sei o que pensar
e voltando a pergunta
eu sou babaca por querer sair mesmo elas tendo se desculpado, me tratando melhor e mandando meu irmão para outro lugar?
(alguém me ensina a botar a votação plz)
submitted by SnowAhFlake to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.15 01:36 SnowAhFlake Atualização do caso da menina que queria parar de falar com a familia

oi gente, algumas pessoas me pediram, até mesmo conhecidos, então hoje eu trago a atualização do caso de jungamento https://www.reddit.com/TurmaFeira/comments/h0h22p/sou_babaca_por_querer_parar_de_falar_com_a_minha/
e bom, eu conversei com os pais do meu namorado sobre a sugestão de uma pessoa que comentou e eles acham melhor eu entrar com um pedido de emancipação alegando esses motivos citados no outro post, pois assim ela não vai ter mais nenhum direito, pq suponhamos que eu vá pra casa deles, ela poderia muito bem ligar pra policia, falar que eu fugi de casa ou que eles me levaram sem a permissão dela
então por agora, como o pai dele é militar, ele arranjou um bom advogado e por enquanto não falei nada com a minha mãe, vamos esperar tudo estar pronto pra apenas notificar ela na hora certa, eu estou passando alguns dias na casa dele depois de muito pedir para podermos agilizar as coisas, já trouxe algumas roupas para cá e por enquanto está tudo o correndo bem

agradeço ao apoio de todos que comentaram, isso me deu coragem para enfrentar o que eu estava passando
por viver tanto tempo sem poder ter uma opinião própria eu acreditava facilmente no que diziam, e quando minha avó disse que fui babaca eu fiquei encucada e me sentindo mal, mas tive a ideia de saber a opinião dos outros e foi a melhor coisa que fiz
submitted by SnowAhFlake to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.13 03:55 SrtaAnonymouns Amizade, Drogas e Confusões - Eu sou a babaca?

Olá Luba e todo mundo que vai ler está história
Vou tentar encurtar um pouco a história pra não ficar tão grande.
Não sei se essa história vai ser escolhida, mas se for, essas duas ''amigas'' minhas vão vê-la. Enfim, tudo começou em 9/19 de junho de 2016, eu havia acabado de me mudar para minha primeira casa depois que eu, minha mãe e minhas irmãs fomos embora da roça. Houve complicações com meu pai e minha mãe na época. Eu não estava estudando porque estava esperando minha mãe me matricular numa escola depois da Ponte Amarela, no bairro Oficinas Velhas.
No meu primeiro dia de aula, conheci algumas pessoas que ainda falo quando as vejo, e outras, que perdi contato ou que apenas quero distância. Naquela escola eu conheci duas garotas, vou chamar uma de Dyah O´Brien, e outra de Unicórnia Suprema. Nessa época, eu estava na 3 ano. Fiz amizade com a Dyah O'Obrien, a outra ainda não havia chegado naquela escola, nem nos conhecer conhecia. Eu não falava muito com a Dyan, mas ainda assim éramos amigas.
No 4 ano (2017), a Unicórnia Suprema já havia chegado na escola. Eu não fui com a cara dela no começo. Pois como eu me achava muito inteligente, não queria outra garota inteligente na mesma sala que eu. No primeiro dia de aula que ela veio, ela lia os textos com a voz firme e em um bom tom, não errava uma palavra. A Dyah fez amizade com ela. Até que depois de alguns dias eu também fiz o mesmo. Pra mim a Unicórnia era como uma irmã. No 5 ano (2018), no primeiro dia de aula, eu conheci uma outra amiga minha. Essa eu vou chamar pelo nome dela, um nome maravilhosamente que sempre me conforta quando eu fico triste, Layla. Ou L.Burke, como eu e ela demos um novo nome quando eu quis escrever meu livro, e por ela como minha sócia.
Bom, no 5 ano eu conheci a Layla. Teve uma explicação longa da minha professora querida, Márcia. Eu não sabia que tinha de levar minha mãe, mas também não levaria, pois minha mãe com os problemas de saúde que tem, tem horário de tomar os seus remédios. Depois da longa explicação, as outras crianças que seriam nossos colegas foram embora com suas mães. Eu e Layla descemos as escadas para ficar aguardando alguém nos levar para casa. A Layla ia de van, e eu esperava minha mãe ou minhas irmãs me buscarem quando resolviam tudo, lá por volta dos 12:00. Eu e ela ficamos do lado de fora do portão na parte da frente da escola esperando. Eu puxei assunto e perguntei qual era o nome dela, e ela me disse ''Layla'', eu falei o meu também. Perguntei qual era idade e outras coisas a mais, mas a conversa não durou muito tempo. A coordenadora pediu para que entrássemos e ficássemos na cantina esperando. Sentamos na mesa e Layla começou a desenhar uma garota com correntes nos tornozelos, sentada na janela. Eu comentei sobre o desenho, e ela me mostrou outros que ela fizera. Depois eu fiquei deitada em cima de minha mochila, olhando ela desenhar, até que caí no sono.
Depois de uns dias, a Unicórnia Suprema ficou conversando com a Layla, e elas fizeram amizade. Eu até então, só falava com a Layla as vezes. Depois também fiz amizade, e foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida, pois tive ela como amiga. Nós três éramos melhores amigas. Eu ficava falando que nós três nunca nos separaríamos umas das outras, e que nossa amizade duraria para sempre. Eu me enganei. Nesse ano, eu comecei a me cortar, ficar muito triste em alguns momentos, mas ficava pior ainda quando não tinha ninguém por perto. As duas me ajudavam, me apoiavam e me confortavam sempre que podiam. Eu percebi depois de um tempo, que sempre que eu mandava mensagem pra elas no nosso grupo ''As Doc7'', falando que eu ia me matar, eu acabava causando aflição, desconforto e tristeza nelas. Não sei se elas sabiam, mas sempre que eu falava aquilo eu passava o dia chorando, me cortando e sempre tentando me matar. Superei isso tudo depois de um tempo. Um dia, quando eu não tinha respondido a Unicórnia em nenhuma rede social uns dias antes, eu cheguei na escola subindo as escadas pro andar de cima, e ela veio correndo até mim sorrindo e gritando um pouco, vindo me abraçar. Aquilo foi uma das coisas que me ajudou, e que aprecio aquele momento até hoje. Enfim, no final desse ano, nós três nos separamos. A Layla foi pra outra escola quando estávamos indo pro 6 ano (2019), eu e a Unicórnia fomos pra mesma escola. Mas o lance é o seguinte, indo pro final do ano quando a gente tava no 5 ano, eu havia brigado com a Layla que por um motivo que nem sabia. Nós estávamos fazendo nossa formatura do Proerd, foi quando briguei com ela, mas nos resolvemos depois e ainda somos amigas. Depois eu briguei com a Unicórnia, por um motivo bem besta pra falar a verdade, vou explicar. A Unicórnia me mandou mensagem falando sobre uma nova amiga virtual que ela havia feito amizade, eu respondi com um '';-; bom pra tu'' (eu acho) e ela começou a falar que eu não podia falar nada porque ela tinha feito uma amizade nova. Pra falar a verdade já me esqueci o que ela falou, mas foi algo assim. Eu também briguei com ela e depois ela acabou me bloqueando e nunca mais nos falamos. Na época que isso aconteceu eu já tinha me mudado pra minha terceira casa no bairro Oficinas Velhas, a casa ficava atrás do colégio que eu estudo atualmente. Eu sempre ficava vendo aquele conversa, ficava chorando sempre que lia, outras ocasiões que fazia isto eu apenas ficava com raiva e dizia ''foda-se''. Mas nunca conseguia ficar em. No Natal eu chorei no meu quarto porque não pude dar um ''Feliz Natal'' pra Unicórnia Suprema e nem pra L.Burke. No ano novo eu fui pra varanda, me encostei no muro de lá e comecei a chorar porque a Unicórnia não estava lá comigo, sendo que era só eu descer a rua, descer a minha direita, andar um pouco e apertar a campainha e falar com ela. Mas eu não podia fazer isso. Minha mãe me viu chorar e me chamou de trouxa me falando pra eu superar ela. Dizendo que eu não morrer, que eu ia ficar bem. Mas eu não acreditei nisso.
Em 2019 já no 6 ano, no primeiro dia de aula eu fui para o colégio em que eu morava logo atrás. A Diretora começou a chamar os nomes de quem ia ficar na sala 601. Até que meu nome e o da Unicórnia foram chamados, eu não estava acreditando nisso. Eu fiquei aflita, triste, confusa e pensando no que eu ia lhe falar. Até que um dia eu tive a coragem para chamar ela para fora da sala e lhe falar o que eu estava acumulando. Segue a conversa:
- Unicórnia, eu quero lhe falar que eu tô' ficando muito incomodada de te ver sendo amiga de outras garotas - eu disse ( mais ou menos isso)
- É só não olhar - ela disse (mais ou menos isso)
Nós ficamos falando sobre a nossa briga e meio que ''resolvemos tudo''. Eu acho que chorei um pouco, não me lembro. Lembram da Dyan O'Brien? Pois então, eu, a Unicórnia e ela viramos melhores amigas. Sempre falávamos sobre a Layla, e do quanto sentíamos sua falta. Eu me diverti muito com as duas, mas não iria querer voltar a falar com elas.
Em 2019, eu fiz minha mãe chorar muito. Me meti em brigas. Me ''apaixonei'' por alguns garotos, sendo que amava outro desde 2016 (sobrinho da ex do meu pai, um dia falo sobre ele). Me descobri bissexual. E a pior coisa de todas, que eu acho que fez a nossa amizade acabar... as drogas.
Não vou falar coisas que não fiz como fingir que eu era um bandido pra Dyah, falando que eu estava em uma boca de fumo e que se ela falasse alguma coisa pra alguém, iriam dar um tiro na minha cabeça. Confesso que não sei o porquê eu fiz tudo aquilo, mas eu acho que eu só queria atenção, não, eu tenho certeza. Com essa mentira eu acabei prejudicando a Dyah, ela ficou frustada e quando minha mãe soube (a Dyah mandou mensagem pra minha irmã pedindo ajuda e minha mãe soube. Minha mãe veio com uma barra de madeira do trabalho dela só pra me sentar o cacete) Pra mim a Dyah fez o certo, eu mereci apanhar. No dia seguinte após esse, minha mãe me fez abrir as minhas pernas na frente das minhas irmãs pra ver se eu ainda era virgem, e se, não tinha feito algo de errado comigo, um dos meus traumas. Minha mãe foi até a escola saber o que tinha acontecido, ela associou um garoto que eu gostava achando que era o bandido, só porque tinha uma foto dele no meu celular, e porque minha irmã do meio falou que uma vez viu ele fumando maconha no banheiro. Eu fui falar com ele sobre o que tinha feito, mas ele não quis me deixar terminar quando eu falei que a mãe dele poderia vir a escola, e acabei acabando com uma amizade. A Dyah ficou muito frustada com isso tudo, mas depois de um tempo essa confusão se ''acalmou''.
Não vou mentir, a Dyah me chamava de problemática algumas vezes, o que não era tão mentira na época, mas também me machucava.
Enfim, indo agora para as drogas. Isso mesmo, drogas. Na verdade, eram medicamentos psicotrópicos, o que poderiam sesão drogas já que eu me apoiava naquilo como um porto seguro, quando os meus problemas estavam me pesando muito. Um dia quando estava no meu quarto, eu fui usar um dos medicamentos, e minha cabeça começou a doer muito. Doía tanto que eu chegava a me debater na cama. Quando estava doendo eu fiquei me debatendo, até que resolvi me levantar e tomar um banho frio, mas adivinha, não resolveu. Depois eu peguei gelo, e pus em minha toalha, colocando a parte que estava com gelo na minha cabeça para a dor ''passar''. Ainda me debatendo, eu não consegui parar a dor, até que eu apaguei. Por conta daquela dor, sempre que eu usava a droga, eu desmaiava, pois da primeira vez que tive a dor, quase tive uma overdose (foi o que me pareceu). Quando eu desmaiava eu não sentia dor, só apagava.
Como um exemplo disso, uma vez eu levei a droga pra escola, e usei com uma amiga minha, vou chamá-la de Nick. Ela não sabia usar direito, e eu sabia o efeito que ia causar nela, então eu usei tudo pra ela não ficar tão mal. Eu falei pra Nick que tinha drogas, e ela quis usar. Mas eu não queria que ela ficasse tonta e depois apagasse no meio da aula, então usei tudo por ela. Quando eu usei a droga, nós estávamos rindo, até que eu vi a cara da Dyah, e meu sorriso se desfez. Eu sabia que eu estava fazendo algo de errado, mas eu não parei. Depois voltei a sorrir, já temendo que eu sofresse uma overdose de verdade agora. No meio da aula, o garoto que eu amava, vou chamá-lo de Coxinha, e outro amigo dele, vou chamá-lo de Cafetão, viram que a Nick estava meio sonolenta, então me pediram pra trazer ela pra perto de nós. Quando eu me levantei minha cabeça começou a dar pontadas de dor, mas eu não liguei. Eu fui pegar a Nick e coloquei ela sentada logo atrás de nós. Quando a aula começou as dores pararam, mas eu estava muito tonta e sonolenta. Eu coloquei meu caderno e meu estojo pra debaixo de minha mesa, e depois coloquei minhas mãos na minha cabeça, tentando ficar acordada...até que eu apaguei. Eu não lembro do que estava acontecendo quando eu estava apagada, mas enquanto estava apagada eu vi minha mãe chorar, e comecei a ouvir a voz do Coxinha e do Cafetão. Eles me ajudaram a levantar e eu fui pra sala perto da diretoria, esperar minha família vir me buscar. Depois desse dia, a Dyah e a Unicórnia começaram a se afastar de mim, mas não foi tão rápido assim.
Um dia, elas simplesmente pararam de falar comigo. Não falaram comigo o por quê de estarem indo embora. Ou o que eu tinha feito. Não me eixaram explicar, apenas foram. Eu insisti tanto, tentei falar com elas, mandar alguns amigos meus perguntarem o motivo delas terem ido embora, mandei carta, tentei falar o assédio que havia sofrido. Mas elas não vieram.
Na verdade, esse assédio aconteceu quando eu tinha 8 anos. Eu comecei a gostar de um garoto quando tinha 8 anos e eu estava no 2 ano nessa época. Eu estava logo atrás do armário de materiais pra artes e afins, e fiquei olhando pra ele sentado na cadeira, por um espaço que tinha lá. Ele chamou a prima dele, e falou algo no ouvido dela. Eu ainda estava sorrindo, pensei que ele mandou a prima dele dizer pra mim algo carinhoso de criança. Mas na verdade, ela veio e falou: '' Carls me pediu pra fazer isso em você'' e mexeu no meu peito. Eu fiquei confusa e depois voltei a olhar pra ele no espaço que tinha ali, nessa hora já não estava mais sorrindo. Depois ela voltou, falou a mesma coisa, e mexeu na minha vagina. Eu cobri meu peito com meus braços, e quando ela foi embora, eu comecei a escorregar pela parede até cair no chão chorando. E aquilo doeu muito. Meu melhor amigo de infância, Ricardo, falou pra professora que eu estava ali. Ela me perguntou o que aconteceu, mas eu não disse nada, porque eu olhei pra aquele garoto, e senti medo e raiva. Eu vi ele sorrindo pra mim. E quando eu falei pra elas sobre o assédio, eu não falei sobre esse garoto. Eu inventei uma história sobre um cara mais velho que na verdade eu nem conhecia. E por quê eu fiz isso? Porque na época que eu falei sobre o assédio, esse mesmo garoto estava me mandando mensagens, e eu estava assustada, ms não conseguia falar pra ninguém, mais um dos meus traumas. Por isso inventei a história e um homem mais velho. Tomara que elas não tenham acreditado, porque eu realmente estava com muito medo na época, e não queria que ninguém acreditasse naquilo. Mas que invés disso, me perguntassem o que realmente acontecendo, só que a vida não é tão boa assim. Quando eu falei sobre o assédio, eu ainda me desculpei por ter parado de falar com elas, sendo que elas que parara de fala comigo. A Unicórnia apenas disse ''Tá bom'', mas eu sabia que nada tinha se resolvido. Um grupo de apoio de adolescentes do colégio veio até nossa sala, e eu quis falar a verdade, ele estavam falando sobre assédio virtual. Eu fui até eles, mas eu só disse ''Quando eu estiver pronta eu posso vir aqui?' eles me disseram sim e eu voltei pra sala. A minha amiga Nick me perguntou se eu falei sobre o assédio, e eu disse que não.
Enfim, eu nunca soube o que era ao certo o motivo delas terem partido da minha vida. Eu achava que eram as drogas, mas até hoje não tenho certeza. Uma vez pedi um amigo meu e da Unicórnia pra perguntar à ela qual foi o real motivo, e ela disse ''Ah ela tava insuportável''. Eu vi o print da conversa. Eu não chorei, não senti raiva, ódio, repúdio, dor e nem nada. Só um vazio de decepção.
Depois de um tempo eu falava delas algumas vezes pros meus amigos, reclamando que elas não tiveram a coragem nem de me dizer o que eu fiz. Mas aí eu parei, e ''esqueci'' tudo.
Hoje em dia, pra mim, elas são apenas lembranças de algo bom e ruim que aconteceu na minha vida. Não gosto da ideia delas terem me deixado sem dizer nada, mas também não as culpo. Elas foram importantes pra mim por um tempo. Eu excluí fotos e vídeos delas do meu celular e das minhas redes sociais, pras não lembrar mais delas, mas ainda as tenho na minha lembrança. Sempre que fico me sentindo triste, com raiva ou vazia, eu escuta a música ''Home'' da Daughter de um vídeo que eu fiz pra Dyah O'Brien. Quando eu fiz esse vídeo, eu fiz pela letra da música, pois eu sabia que ela iria embora, e ia ser breve a sua partia. Não vou por o vídeo aqui pois está com uma foto dela. Mas essa música sempre me acalma, pois lembro do dia que estávamos no segundo pavilhão do colégio, tirando fotos ou apenas conversando esperando nossos pais chegarem. Eu estava deitada no colo dela no banco. Um dos dias mais especiais pra mim. Elas não são uma lembrança ruim, mas também não são uma lembrança boa. Com a partida delas eu amadureci mais, me indireitei, me resolvi com minha família (mais ou menos) e estou querendo um futuro pra mim vida.
Agora depois do apagão que eu tive em 2019, eu nunca mais usei medicamentos psicotrópicos. Eu estou estudando mais, pensando em fazer medicina e virar neuro-cirurgiã, pra ajudar pessoas com problemas iguais ao de minha mãe, ou virar General do exército das Forças Armadas. Quero arrumar um/uma namorada/namorado, que espere eu ter meus 15 anos pra namorar. Que fique comigo por muito tempo, e que respeite minhas decisões sobre sexo, política, religião, família ou qualquer outra coisa. Quero vencer na vida e dar orgulho pra minha família.
Estou juntando dinheiro pra pagar minha faculdade e ter uma boa via morando com minha melhor amiga Emilly.
Mas pra falar a verdade, a Dyah O'Brien e a Unicórnia não me ajudaram a pensar nisso tudo, ou até, a querer mudar. Eu só mudei.
E em relação a aquele garoto do assédio, eu falei poucas e boas pra ele esses dias, pra ele me deixar em paz, e ele finalmente foi embora.
Espero que quem leia a história da minha recuperação se apoie nela, e se ajude a melhorar. Lubixco e for contar minha história, faça dela também como uma história de auto-ajuda. Mas passar bem, e ah antes que eu me esqueça.
Fui babaca em relação a Dyah e a Unicórnia?
submitted by SrtaAnonymouns to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.10 20:36 SnowAhFlake sou babaca por querer parar de falar com a minha família?

olá lubinha e editores, então, minha história é bem longa, mas vou tentar resumir
Meu irmão me assedia, como passar a mão no meu peito ou na minha bunda, e mesmo eu pedindo para ele parar, ele continua, teve uma vez em que eu estava tomando banho, mas como era uma porta sanfonada (aquela que abre dobrando) ele passou um cartão pra subir a trava pela fresta da porta, e tentou tirar uma foto minha tomando banho.
muitas vezes eu falei com a minha mãe e ela só dizia "é brincadeira dele" então eu ficava quieta e fazia minhas coisas. Ano passado quando meu avô morreu, minha avó perguntou se a gente queria ir no funeral dele, e tudo o que meu irmão disse foi "eu não sou obrigado a ir", eu fiquei com muita raiva e comecei a gritar com ele, pra pelo menos na morte do nosso avô ele ser uma pessoa descente, mas adivinha quem foi a errada da história?
Depois disso eu não saia do quarto pra nada, só ia pra escola e voltava, nem comer eu comia, nesse tempo eu só queria sumir dali, mas eu conheci um grupo que me chamou pra jogar rpg com eles, e quando eu percebi eu estava apaixonada por um dos meninos que participava, a gente começou a namorar (faz 10 meses), e ele me ajudou muito com tudo o que eu estava passando, quando eu contei pra minha mãe, ela simplesmente surtou, mas dps de eu insistir todos os dias por uns 3 meses ela aceitou.
ele começou a frequentar aqui em casa, e viu que a situação era muito pior, ela nem olhava pra mim, e se eu passasse das 9h dormindo, ela chutava a porta do meu quarto até eu levantar, já meu irmão, dormia até 13h tranquilo e ai de quem interrompesse.
nesse meio tempo meu irmão tinha parado até de me olhar, e eu estava melhor até, mas eu acabei repetindo de ano por problemas psicologicos e não conseguir focar na escola, dps disso, minha mãe sempre que podia jogava isso na minha cara ou falava pros outros que eu era a filha burra e que nem pra passar de ano eu servia.
e, mês passado, meu irmão voltou a me assediar, eu falei com a minha mãe e ela disse "é só brincadeira Gabriella, como você acha que ele está se sentindo? como você acha que está o coraçãozinho dele?" depois desse dia tudo o que eu sentia por ela e ele, era nojo. E quando eu fui falar com a minha avó ela disse que eu fui babaca por não pensar no lado dele e que eu tenho que ter mais Deus no coração.
eu estive conversando com o meu namorado e os pais dele disseram que posso morar com eles, e eu seriamente estou pensando em ir, mas quando contei minha história para uns amigos, todos me disseram que estou exagerando por não querer mais contatos com eles
e então luba, eu sou babaca?
desculpa o texto enorme, mas esse foi o maximo que deu pra resumir =30
edit: caso apareça nos videos, e as pessoas quiserem eu trago uma atualização do caso
atualização: https://www.reddit.com/TurmaFeira/comments/h94et3/atualiza%C3%A7%C3%A3o_do_caso_da_menina_que_queria_parar_de/
submitted by SnowAhFlake to TurmaFeira [link] [comments]


CHEGA DE QUERER NAMORAR Como Parar de Querer o Reconhecimento dos Outros?  Thiago Burigatto Como deixar um HOMEM COM MEDO DE PERDER?!! - YouTube ELE MENTIU PARA VOCÊ VEJA QUE ATITUDE TOMAR Como Controlar o Ciúmes Com a Namorada Como não cobrar atenção no relacionamento? Como Deixar de Querer Agradar aos Outros?  Resolution T2 #07 Se você fizer isso ele não vai querer mais namorar você COMO FAZER O CRUSH TE PEDIR EM NAMORO Como Arrumar Um Namorado Ideal

Como Ignorar Seu Namorado: 12 Passos (com Imagens)

  1. CHEGA DE QUERER NAMORAR
  2. Como Parar de Querer o Reconhecimento dos Outros? Thiago Burigatto
  3. Como deixar um HOMEM COM MEDO DE PERDER?!! - YouTube
  4. ELE MENTIU PARA VOCÊ VEJA QUE ATITUDE TOMAR
  5. Como Controlar o Ciúmes Com a Namorada
  6. Como não cobrar atenção no relacionamento?
  7. Como Deixar de Querer Agradar aos Outros? Resolution T2 #07
  8. Se você fizer isso ele não vai querer mais namorar você
  9. COMO FAZER O CRUSH TE PEDIR EM NAMORO
  10. Como Arrumar Um Namorado Ideal

Como fazer para que um homem tenha medo de perder uma mulher? O que você precisa ser ou fazer para que ele não largue mais do seu pé? LOJA VIRTUAL: WWW.FAZER... COMO FAZER O BOY NÃO PARAR DE PENSAR EM VOCÊ !! ... Ruan Andrade 373,439 views. 6:30. Como fazê-lo assumir um relacionamento SÉRIO [Parte 1 ... ESSA TÉCNICA FAZ QUALQUER HOMEM QUERER CASAR OU ... Nesse vídeo eu dou 3 estratégias fundamentais sobre Como Parar de Querer o Reconhecimento dos Outros e de entender de fato como isso funciona nas relações humanas. Como Parar de Querer o ... This video is unavailable. Watch Queue Queue. Watch Queue Queue APRENDA A relaxar!!! Deixe de pirar e apressar relacionamentos antes da hora. No vídeo eu mostro como é importante a gente não correr atrás de um namoro desesperadamente. ----- !!Me siga ... A MENSAGEM DA 'TELEPATIA' FAZ UM HOMEM QUERER VOCÊ - Duration: 5:46. Ítalo Ventura 348,242 views. 5:46. COMO PARAR DE SER CIUMENTA - Duration: 8:32. Diego muda vidas 59,915 views. Você não pode querer que ele esqueça seus planos por você só pelo fato de você dizer que faria o mesmo. Como eu disse antes, dizer não é o mesmo que fazer. Não Consigo Parar de Olhar os Stories Dele - Duration: 4:12. Coach Luane Morais 3,758 views. 4:12. Como arrumar um namorado 💑 Gabbie Fadel ... O vicio de só querer o homem que não te ... As cobranças te um efeito muito nocivo na relação. São fontes de conflito. Veja o vídeo e descubra com se livrar desse vício que desgaste relacionamentos. Para saber mais e aprofundar seus ... Tens um obstáculo por ultrapassar, uma decisão a tomar, um problema por resolver? Nesta rubrica tento responder da melhor forma às tuas perguntas, para que p...