Namoro explícita

A Lei n.º19/2013 veio integrar de forma mais explícita a violência nas relações de namoro: “A pessoa de outro ou do mesmo sexo com quem o agente mantenha ou tenha mantido uma relação de namoro ou uma relação análoga à dos cônjuges, ainda que sem coabitação”, (CPP,2009) UMAR, Relatório de Imprensa. Os aplicativos / sites de namoro gay estão sendo lançados em grande número para atender a comunidade LGBTQ. Confira os 10 melhores aplicativos de namoro gay que você pode baixar. No meio do filme, é revelado que Jane é uma atriz pornô, e aí temos uma bela cena explícita (feita pela atriz pornô Zoe Voss), com direito a sexo oral e penetração. Imperdível. 17. Ninfomaníaca. Nymphomaniac (2013) Dos mais novos, este talvez seja o filme mais perto do pornográfico aceito pela Academia. A saúde do namoro está em terminar antes mesmo de começar. O período da corte serve para analisar se o parceiro tem algo além de beijo, beijo e sexo. E muitos têm descoberto isso e agradecido a Deus por não terem começado o namoro, se não iriam sair feridos emocionalmente”, acrescenta o pastor. 1. O texto de Artigo de Opinião, normalmente, são registros formais porque circulam no campo jornalístico. Sobre “registros formais”, é correto dizer que são: a) Registros que priorizam uma interpretação explícita. b) Registros que priorizam a norma culta da língua. -se referência explícita ao namoro, que se robustece no V Plano Nacional de Preven- ção e Combate à Violência Doméstica e de Género 2014-2017 (PCM 2013), que integra integrar de forma mais explícita a violência nas relações de namoro: “A pessoa de outro ou do mesmo sexo com quem o agente mantenha ou tenha mantido uma relação de namoro ou uma relação análoga à dos cônjuges, ainda que sem coabitação”. Para além disso, o Código Penal vem também nesse ano (2007) enquadrar as relações ... O pai de Lu e Valerio os pega em uma situação explícita. É revelado que Samuel não desapareceu, mas estava escondido na casa dos avós de Guzmán para prender Carla a confessar sobre o assassino de Marina. Polo é preso. Guzmán rompe sua amizade com Ander por esconder o fato sobre Polo. Ander e Omar se reconciliam. A Lei n.º19/2013 veio integrar de forma mais explícita a violência nas relações de namoro: ”A pessoa de outro ou do mesmo sexo com quem o agente mantenha ou tenha mantido uma relação de ... # 2 Melhor App de namoro adolescente - Café encontra Bagel. É outro ótimo site de namoro para adolescentes que a maioria dos adolescentes usa. Este aplicativo funciona bem para adolescentes que planejam iniciar um relacionamento. É muito simples de usar devido à sua impressionante interface amigável e de classificação.

Desabafo sobre pensamentos ruins que me atormentam (+18)

2020.08.27 21:34 Ultimecia- Desabafo sobre pensamentos ruins que me atormentam (+18)

Ola pessoal, depois de muito pensar, e me perguntar se deveria fazer esse texto, venho aqui pra desabafar um pouco, pois não tenho um ciclo social muito grande pra o qual eu poderia contar essas coisas, e as poucas pessoas que eu poderia contar, Não seriam diretas e sinceras. Como o texto também é bem constrangedor, acredito que um leve anonimato deve me ajudar a se expressar melhor.
Marquei o texto como +18 porque usarei palavras bem explícitas aqui para melhor entendimento, porém, ciente das diretrizes da comunidade, caso o texto seja ofensivo ou afete alguém menor de idade, gostaria que fosse removido o mais rápido possível, me desculpem se acabar sendo ofensivo ou algo do tipo, espero não ultrapassar nenhum limite aqui. Mas vamos lá.
A 3 anos atrás eu conheci uma garota do meu antigo emprego (tenho 23 anos, isso não fere meu anonimato). Essa garota era perfeita e muito fofinha, tinhamos a mesma idade e nos demos super bem, estávamos solteiros, e depois de 6 meses nos conhecendo começamos a namorar. Namoramos por uns 2 anos, e nesse tempo aproveitamos muito a companhia um do outro, foi tudo perfeito, sem brigas e sem desentendimento, até que começamos a nos conhecer de mais. Sempre fui um cara reservado, antes dela só namorei uma pessoa, por 3 anos, minha única experiência sexual foi com essa pessoa, e após o termino nunca me relacionei como mais ngm, porém, essa garota que conheci no meu trabalho (vou chama-la de Yomawa, nem sei o pq :v) ja havia tido muitos outros caras no passado. Conversando com ela, descobri que fui o primeiro namorado dela, porém, ela ja havia ficado e tido aventuras adultas com mais de 15 caras no total, alguns em festas, faculdade, e todo o resto, com alguns mais de 5 vezes, ja havia feito menage e outros desejos sexuais que realizou por curiosidade. Confesso que me surpreendi, uma garota tão fofinha e delicada ja ter passado por isso me abalou um pouco, e depois que eu fiquei sabendo dessas coisas, nosso namoro desandou. Comecei a criar uma espécie de paranóia na cabeça, de nunca ter dado um prazer tão bom pra ela em nossas relações na cama. Eu tinha alguns fetiches e curiosidades, e ela, ja havia realizado todos com os caras anteriores. Com o tempo essa paranóia de me sentir insuficiente foi tomando conta de mim, até que cometi o erro (ou não) de perguntar se eu ja havia sido o melhor com ela na cama. Ela disse que não, disse que avalia certos pontos nas relações, como preliminar, oral, beijo, penetração, vibe e etcs. E que desses pontos, eu tinha sido o melhor em preliminar e sexo oral, maaaaas, um dos piores em penetração, disse que ja tinha se relacionado com outros caras que proporcionaram um prazer enorme pra ela, e que achava difícil eu superar. Uma coisa que amo nela, é a sua sinceridade, eu odiaria sentir que estou sendo enganado, e a verdade apesar de doer, é o que eu prefiro. Desde então eu tenho me empenhado e dado o melhor de mim, para "ser o melhor" de cama. Eu nunca tive esse orgulho macho (como prefiro chamar) de querer ser o mais fodao em tudo e bla bla bla, mas isso tem me atormentado, e tem me impedido de ser feliz.
No começo ela acreditava que eu poderia ser o melhor na penetração e bla bla bla, mas agora ela pede pra eu não criar esperanças ahebhahehe que do jeito que estou (estou dando o maximo que consigo e fazendo treinos constrangedores de desempenho sexual no meu quarto) posso levar quase 1 ano pra conseguir ser o melhor do melhor. E isso tem me atormentado tanto que estou ficanso triste de vdd, me sinto insuficiente, quando estamos juntos e vejo ela gritar e gemer de prazer na cama, penso logo : - Se ela se contorce desse jeito comigo, imagina com o cara que já comeu ela melhor. Aaaaaaaaahh é horrível, me desculpem pela forma de falar "comeu" mas não consegui pensar em algo menos machista. Imagina você namorar uma garota que diz "meu namorado não foi o cara que me comei mais gostoso, desculpa, estou sendo sincera".
Ela diz que não liga pra isso, que o que sente comigo nunca sentiu com ngm, que nosso amor é pfto, que eu trato ela como uma Deusa e isso motivz muito ela todos os dias, ela chora só de pensar em me perder, e de vdd combinamos em tudo. Gostos, musicas, animes, séries, jogos, ela é perfeita, e eu sou o cara que nem consigo dar um prazer suficiente na cama, me sinto ridículo por isso, mas penso que quando começamos a tranzar, ela tem uma expectativa de ser bom e maravilhoso, e acaba não sendo, ela acaba esperando que seja bom como os outros caras, e acaba não sendo. Ja imaginou ela ter aquele prazer como referência sempre que pensar em sexo ? E não no meu ? Eu não consigo ser eu mesmo desde que isso aconteceu, e me sinto tão mal que penso em terminar. Estou mt agressivo com as palavras e muito decepcionado comigo, esse relacionamento está me deixando mal e me fazendo sentir a cada dia insuficiente, e ela não tem culpa, nunca seria capaz de culpa-la por falar a verdade, é a qualidade que mais amo, mas estou perdido. O relacionamento é mt mais que sexo galera, mas sinto que a cada segundo que passa, os caras anteriores estão ganhando de mim, sei la, é como se eu estivesse perdendo (???) Estou paranóico, queria desabafar, penso em ir em um psicólogo ou sexólogo, mas não sei mais o que fazer, de vdd.
Me desculpem se ficou mt grande este desabafo, ou se acaba ferindo alguma diretriz ou algum menor de idade, pfvr excluam se for o caso :(((
Ass : O cara que não foi o melhor da sua namorada
submitted by Ultimecia- to desabafos [link] [comments]


2020.07.22 20:01 UzumakiGabs Sobre autoestima e [email protected]ção

Eu namoro um cara há uns 3anos. Ele sempre alegou ser praticamente assexual, quase sem nenhuma libido e que realmente não gostava de sexo. Eu sou, talvez, uma pessoa com depressão crônica, que se arrasta por vários anos, e com histórico de abuso sexual e exposição de videos/fotos íntimas. No começo, não me importava com essa falta de libido dele. Porém, o tempo passou, comecei a me exercitar e a me sentir mais bonita, e, depois de muita terapia, me sentir mais a vontade para praticar saliências rs. Ok, meu namorado estava de acordo. Porém, ele praticamente não me procura, e sempre me deixa sem graça pra fazer investidas. Houve uma vez em que eu fiquei dois dias andando nua pela casa e fazendo várias insinuações explícitas de que queria transar com ele. Bem, ele me ignorava, ia pro banheiro e se masturbava assistindo a algum vídeo sobre gostosas peladas lésbicas em público. Me frustra o fato de que ele prefere se masturbar à transar comigo, e que, nas poucas vezes em que fazemos sexo, ele goza e me deixa "na mão". São os cinco piores minutos do meu dia. Já briguei com ele por isso, principalmente porque as vezes ele deixa o banheiro todo espirrando, e não se dá ao trabalho nem de apagar o histórico do celular. Sou uma pessoa com recorrentes tentativas de suicídio e uma extrema baixa autoestima, me machuca o fato de ele preferir ver mulheres no celular do que a mim, que estive do lado dele nas piores situações possíveis. Eu gostaria de saber o que eu faço. Sei que as pessoas se masturbam por diversos motivos, porém, tive uma criação bem rígida e tenho diversos traumas em relação a isso. Só queria saber algum modo de não ficar tão triste com essa escolha dele, de preferir assistir pornô do que responder às minhas investidas.
submitted by UzumakiGabs to desabafos [link] [comments]


2020.06.15 21:48 gokufantastico A babaquice q habita em mim saúda a babaquice q habita em vc

Olá Lubixco e agregados! Como vai a vida de vcs nessa pandemia??
Obs.: caso queira fazer sotaque, sou mineira.
Dezembro do ano passado, conheci um menino q vamos chama-lo de Karls com K. Na verdade, eu já o conhecia de vista, mas n conversávamos. Ele havia conseguido o meu número por meio da Narls, uma amiga mto próxima da época, éramos praticamente inseparáveis.
De início eu não tava querendo papo com o Karls, mas acabei caindo em carência e cedi. Eu e ele nos dávamos até bem, até então parecia ter idéias que batiam com as minhas, e aparentava ser super compreensível tbm. Como sou emocionada me deixei levar por essas coisas mínimas. Ele escrevia super errado e sem vírgula, eu tinha q adivinhar oq ele falava. Definitivamente n precisa de mto pra me ganhar.
O negócio é q eu tava tão apegada q aceitei namorar com ele antes msm da gente ficar. Esse "namoro" durou uma semana. Aconteceu uns problemas familiares e eu tava sem cabeça pra menino. Tbm tinha perdido um pouco o encanto, ent terminei antes da gente ficar. Tempo depois pedi pra Narls arrumar ele pra mim pq eu queria recomeçar com calma dessa vez (alguém me cancela, eu n me decido).
Deixando essa parte de lado e voltando para a Narls, eu e ela éramos amigas principalmente pq fomos diagnosticadas com depressão, combinamoscde uma ajudar a outra. O problema é q nós duas tínhamos um jeito diferente de lidar com isso. Eu sempre preferi ficar mais no meu canto, sem apoiar a minha felicidade em alguém. Sempre acreditei q o vazio q eu sentia deveria ser preenchido apenas por mim mesma. Já ela se sentia melhor qdo tava na presença de pessoas q confiava. Essa diferença acabou se tornando um problema na nossa amizade. Eu me sentia cansada qdo tava perto dela, as vezes tudo q eu queria era ficar no meu quarto.
Enfim, n tô aqui pra me vitimizar. O fato é q mtas vezes eu me sentia pressionada em ter q sair ou ir na casa dela, ent negava. Isso a machucava mto. Por conta disso nos afastamos um pouco. Ela estava precisando de ajuda. Eu negava ajuda.
Partindo dessas duas situações vamos ao clímax da nossa história. A Narls tinha voltado de uma viagem e tava com saudade de todo mundo. Programamos de geral ir na casa dela, inclusive o Karls. De inicio eu aceitei, mas um dia antes da reunião, desmarquei. Eu e o Karls estávamos nos estranhando, ele andava falando umas coisas machistas e fez uma trolagem idiota me chamando por um whatzap fake com uma foto de um menino qualquer. Por eu ter respondido ele insinuou q eu era interesseira. Por conta disso n queria ver ele e decidi q ficaria em casa.
Acontece q a Narls ficou p da vida com isso. Onze pessoas iriam, n ia fazer falta se eu n fosse, mas msm assim ela foi no grupo q estávamos usando para combinar o rolê e disse q teria q cancelar pq duas pessoas lá de dentro n se suportavam. Ela fez isso pra me forçar a ir, mas n deu certo, tudo foi cancelado msm.
Ela acabou contando pro menino q eu n queria ir "pq n o suportava". Fazia um tempinho q eu tinha parado de contar algumas coisas pra ela, mas fiquei mto magoada pq antes msm dela saber o meu lado, foi logo fazer intriga com o garoto, ignorando a amizade q a gente tinha por pirraça.
Um detalhe importante é q eu n tinha me afastado totalmente do Karls depois das decepções e do tal fake pois direto ele falava o qto era depressivo (acho q n era diagnosticado por um psicólogo como eu e a Narls, mas ele realmente parecia doente).
A Narls tbm fazia questão de me falar q eu era a unica coisa q mantia ele vivo e o qto ele era perfeito (não a julgo, ele se mostrava um príncipe para as pessoas e eu raramente reclamava dele com ela). Fiquei com medo dele atentar contrar a propria vida se eu me afastasse ent fui empurrando as coisas. Pois é, errei em n ter sido sincera.
Bom, com a "revelação" da Narls, o Karls me mandou um monte de mensagens, -uma delas com a foto do Kurt Cobain, importante destacar - falando q eu era manipuladora e frisando a depressão dele. Nem respondi. Aquilo já tinha me desgastado demais.
Dias depois ele mandou um áudio me pedindo desculpas e outras duas personagens dessa história, a Marls e a Sarls, minhas atuais melhores amigas responderam por mim. Acho q elas pegaram um pouquinho pesado na forma q falaram com ele mas tava tudo a flor da pele e precisamos fazer jus ao título dessa história.
Eu e Narls nos afastamos cada vez mais e uns dias atrás conversamos e terminamos oficialmente nossa amizade. Se ela tiver vendo isso espero q n me chame pra perguntar nada kkkkk. Tudo oq falei foi revivendo cada momento, n to querendo briga, pelo amor de Deus. Apenas quis transformar a treta em conteúdo.
Sabe Luba, apesar tudo, eu e Narls nos desculpamos pelos erros. Gosto mto dela ainda, essas desavenças não apagam o qto ela já me ajudou. Nossa amizade acabou n indo pra frente mas desejo tudo de bom pra ela, tenho total respeito pelo oq vivemos, e torço pra q ela vença a depressão.
Qto ao Karls, espero q ele se trate tbm. Só eu sei como a minha ansiedade e depressão ficavam atacadas naquela época. Ele criou um personagem perfeito pra me agradar e sempre q ele saía desse personagem e eu ficava com vontade de me afastar, ele voltava todo compreensivo e depressivo. Mandava fotos explícitas das mãos dele sangrando por conta da automutilação, msm sabendo q eu tbm era doente e q poderia ser gatilho. Acho q ele achava q eu poderia salvá-lo de alguma forma, mas eu mal estava dando conta de mim mesma. Uma amiga me disse q isso era relacionamento tóxico mas prefiro acreditar q ele só estava mto confuso com tudo aquilo msm.
No fim assumo q tbm tive meus erros. Todo mundo fez alguma merda nessa história. Acho q é isso chat, desculpa o textão, bjos e menor q três.
submitted by gokufantastico to TurmaFeira [link] [comments]


2019.07.09 12:18 lipherus Íbis — Capítulo I

Bom dia, é a primeira vez que escrevo em primeira pessoa e gostaria de opiniões. =)
“A voz dos deuses e escolhida de Thot. No começo, era apenas uma Oráculo. Depois, uma bruxa queimada na fogueira do deus pagão. Espírito vagante sem salvação. E agora, protegida pelo crepúsculo Retorna aos braços d’Aquele que sempre a amou. Sob as asas d’Ele, ela se abrigou. E descansou.”
O pequeno e singelo poema cortou o silêncio do salão. Eu estava trêmula e ofegante, pois estava atrapalhando a palestra do meu professor e a grande oportunidade de sua carreira. Os estudiosos olhavam para Heru e depois para mim, à espera de alguma cena dramática que não aconteceu. Ele apenas desceu do palanque e me alcançou, sorrindo e igualmente trêmulo ao tomar o papel de minhas mãos. Murmurou agradecimentos e disse estar surpreso com a tradução, porque aquelas palavras deixavam explícitas que os antigos egípcios eram capazes de prever o futuro. Prometeu uma conversa sobre o papiro depois e pediu que eu me retirasse, mas não sem antes me agradecer de novo. Ao fechar a porta, explodo em lágrimas emocionadas e cansadas. Traduzir o poema foi um trabalho árduo de quase quatro anos, para no final descobrir que Thot havia se apaixonado por uma mortal e enterrou seu corpo em uma tumba sem glamour. Ele queria que sua amada permanecesse anônima, mas que ainda soubessem a quem pertencia. Ela não tinha um nome e sequer corpo, todavia sua existência estava cravada nas paredes de pedra do sarcófago. Levanto-me orgulhosa e volto para o laboratório, à procura de mais pistas sobre os amantes. Havia algo que ainda não tinha visto nas marcas e, mexendo em alguns pertences, um pingente em forma de meia lua cai no chão. Não sou perita em metais preciosos, mas sei que seguro algumas boas gramas de ouro puro. Procuro por escritos no verso da peça, e nada encontro, salvo os hieróglifos que remetiam a Osíris e Thot. Um presente para o deus do submundo? Depois de catalogar o colar, volto minha atenção aos textos até sentir dor de cabeça e sentar na cadeira. — Nailah, o professor Heru te chama no salão de convenção. Engulo em seco e vou até ele, esperando uma bronca por ter interrompido a palestra. Porém, ao entrar, fui recebida por salvas de palmas fervorosas. Ele me abraça e pede que explique aos demais sobre a descoberta, já que o mérito da tradução é todo meu. Sinto um misto de vergonha e emoção, porque Heru não tomou os créditos para si e deixou que eu, uma mera assistente, falasse aos melhores profissionais do mundo por horas a fio. Ele ficou ao meu lado para explicar alguns termos que não conheço, simplificar perguntas e traduzir algum outro idioma que não entendo. Ao terminar, pude respirar. Estou tão cansada que é difícil manter os olhos abertos e pensar, mas eu ainda preciso falar com ele. Despeço dos outros por alguns minutos e Heru me abraça de novo, sugerindo um jantar antes de irmos para casa e dormir. Aceito e nós fechamos o laboratório depois de pegar algumas coisas. "Sob as asas d’Ele, ela se abrigou.” É engraçado como essa frase ecoa na minha cabeça quando estou andando lado a lado com Heru. Eu o conheço há quase dez anos e nunca deixei de me sentir protegida e iluminada por sua presença. Ele é alto e imponente, com a pele tão preta que é quase avermelhada, e olhos espertos e pretos. Mas, basicamente, Heru Monterrey é um cachorro grande e bonachão que ladra e não morde. É muito fácil deixá-lo magoado e à beira de lágrimas, se quer saber. E eu amo ver esse lado sensível e frágil do meu professor, pois o torna humano e acessível. Ninguém imagina que um pesquisador de renome como ele é coração mole. — Eu encontrei isso. — entrego o colar em suas mãos. — Estava perdido no meio dos papéis. Parece que é uma oferenda a Osíris e Thot. — Ou uma oferenda de Thot para Osíris? Coço a cabeça e suspiro. — Não tinha pensado nisso. — confesso. — Nailah, você está esgotada e eu acho que deva tirar umas férias. — ele toca no meu rosto. — Eu estou pensando em dar um tempo também, podemos viajar juntos. — Quem convida é quem paga, viu? — empurro ele com meu ombro e sorrio. — Seria uma bênção poder dormir até tarde. — Pode ficar com a lua. Pego o colar e olho pra ele, chocada. Sabe-se lá de quando é a oferenda e Heru estava entregando casualmente pra mim, como um pingente comprado numa loja qualquer. Abro a boca inúmeras vezes, mas nenhuma palavra decente sai dela e só me limito a levantar as tranças pra facilitar o trabalho dele. Heru me julga por um tempo, ajeita e mexe no colar até deixá-lo bem em cima do meu coração e ficar satisfeito. — Tem certeza? — murmuro. — Isso é da sacerdotisa e não quero que Thot venha me assombrar. — Se Ele deu pra amada d’Ele, acho que não ficará bravo se eu der pra minha, não acha? Abaixo os olhos, subitamente tímida. Nós sempre brincamos com nossos colegas, que consideravam-nos namorados, mas ele nunca falou tão sério quanto aquele momento. Mordo meus lábios e seguro sua mão, sem dar resposta, mas deixando claro que se aquele é o sentimento dele, então é recíproco. Às vezes palavras não ditas fazem mais efeito do que aquelas expressadas aos quatro ventos. — Comida japonesa? — Heru pergunta para quebrar o gelo. — Depois umas doses de anti-histamínico pra não morrer de alergia? — Combinado. Saber que ele é apaixonado por mim tanto quanto sou por ele fez um bem danado pra minha auto-estima. Se antes e em algum momento da minha vida achei que não era bonita ou capaz, estava completamente enganada. Ouvir dos lábios dele que minha inteligência e devoção foram fatores cruciais para que ele se interessasse, tornou-me tão inchada quanto um balão. Depois, Heru começou a enumerar minhas qualidades físicas e só parou quando eu estava com a cara quente e prestes a surtar. Eu sou brasileira e me orgulho disso. Meu país tem os problemas dele, assim como os Estados Unidos também têm, mas nunca pensei que estudar na Unesp ia me levar até onde estou. Lembrei das noites acordada estudando infindáveis textos, das vezes que quis desistir e da minha felicidade por ter sido aprovada na faculdade que ele dá aula. E passei a amar meu corpo em forma de pera, os cabelos trançados e coloridos e, acima de tudo, a cor da minha pele. Antes tinha um grande tabu comigo mesma, por ser preta e ter uma posição de destaque, mas conforme fui aprendendo na faculdade e com a vida, percebi que estar ali é um mérito do meu esforço triplicado. No final da noite, eu e Heru transamos e dormimos juntos. Foi o momento em que eu o vi mais vulnerável, conheci cada cicatriz de seu corpo, os problemas que tinha, as marcas... Tudo. Ele se entregou completamente e assim também fiz, mostrando-lhe as feridas que tenho da época em que me afundei em depressão e cortei meus braços e pernas. — Bom dia. — ouço seu preguiçoso resmungo enquanto ele aperta minha barriga. — Agora posso morrer em paz. — Quer parar com isso? — começo a rir e abro meus olhos. — Bom dia. — Eu sempre quis apertar sua, como é que você chama? Pança. — seu português falho é particularmente adorável. — Eu amo essas dobras, sabia? — Heru! Para, sua mão tá gelada! — Tá bom, tá bom. Permissão pro abraço? — Concedida, senhor Monterrey. Enquanto ele toma banho, vou preparando o café da manhã. É inconsciente, mas eu checo minha barriga e conto as dobrinhas, três no total, pensando em como Heru pode achar aquilo interessante. Ouço seus passos ecoando pelo corredor e me viro para olhá-lo, namorando a cena do homem enrolado na toalha e molhado ainda. Ele se aproxima e ajeita a lua, jogando as tranças sobre meus peitos para tapá-los e evitar que eu pegue mais friagem. Seguro sua mão em meu rosto e fecho os olhos, sorrindo como a trouxa que sou. — Vai querer viajar? — Onde pretende ir? — roubo um selinho dele antes de servir a mesa. — Não vai entregar o artigo científico sobre a tradução? — Não está escrito em lugar algum que sou obrigado a trabalhar durante minhas férias. — ele dispara. — Pensei em alguma praia, sei lá. — Negão desaforado. — acerto a colher de pau na cabeça dele. — Praia é muito clichê e eu não sou muito fã do frio. — Patroa difícil de agradar, viu? Sento ao seu lado e começo a rir. Ele está tão à vontade que até parecemos casados há eras, e eu só sinto que vou desmanchar de felicidade. Nós conversamos um pouco mais sobre a tradução e Heru corrige o inglês, reclamando do quanto sou ruim para escrever. Tal afirmação me ofendeu um pouco, já que escrevo fanfics durante minhas folgas e nem formado nisso ele é. Começo a julgá-lo em silêncio e ele percebeu que tinha me magoado, em seguida pediu desculpas atrapalhadas e disse que ama minha escrita. — Como você imagina Thot de personalidade, Nailah? — Meio parecido com você, mas muito mais apaixonado pelo trabalho. Ele foi um carinha muito ocupado, até ajudar Osíris no submundo ajudou. — acendo meu baseado e deito no sofá enquanto Heru escreve no computador. — Curou o olho de Hórus quando Seth arrancou, depois ensinou magia para Ísis poder reviver o marido, luta contra Apófis quando Amon-Rá traz o sol... Tudo isso e ele ainda fez o calendário e desenvolveu os hieróglifos. — Você tem uma admiração enorme pelos deuses, hum? — A mitologia egípcia é linda, se me permite dizer. Tudo é tão conectado e diferente ao mesmo tempo... A gente não sabe nem um terço do que eles acreditavam e criavam. — E a sacerdotisa? — Não tenho uma imagem dela. — ofereço o cigarro pra ele. — Mas deve ser alguém de personalidade parecida com a de Thot, porque ela pegou o cara pelo colarinho mesmo. Uma pena que não seu nome em lugar nenhum, ia ser muito interessante conhecê-la melhor para entender como funciona esse lance de deuses e amores mortais. — Você viu isso? Sento no colo dele para ler o artigo de um colega nosso, o qual afirmava que Sekhmet e Anúbis tinha um relacionamento secreto. Para mim e meu conhecimento, a afirmação é errada pois eles eram deuses sem sintonia alguma. Ela é a deusa da guerra, tão furiosa que Rá precisou enganá-la com vinho para acalmar seu frenesi sangrento. Já ele parece ser mais pacato e melancólico, servindo fielmente ao propósito do julgamento da pena e à proteção da mumificação. Parecia impossível imaginá-los juntos. Ao terminar de ler, porém, comecei a ter minhas dúvidas sobre o que conhecia até então. — Será que existe algum documento que prova essa teoria? — Antes de Osíris ser quem é, Anúbis tinha o mesmo papel que ele. — Heru contestou ao soprar a fumaça na minha nuca. — Se Sekhmet matou os homens através de sua ira, é bem provável que tenha o encontrado durante a caminhada. — Mas tem uma teoria que diz que Sekhmet é uma face de Hathor e Bastet... Será? — Em Mênfis, ela foi esposa de Ptah e mãe de Nefertun até Mut e sua Tríade tomar lugar e ela passar a considerada como a própria Mut. Nossas informações são bem escassas e temos várias ideias do que pode ou não ser. Cada região tinha seu próprio mito, quem sabe o Richard esteja certo e apenas olhando para outro lugar que não vemos? Deixamos a discussão pra lá quando pegamos fogo levados pela maconha. Quando paro pra pensar nisso, me sinto um pouco culpada por levá-lo ao mau caminho, apesar dele ser bem mais velho que eu. Mas a erva funciona como uma válvula de escape para nós e não é algo que fazemos sempre, resumindo nossas brisas às escavações e trabalho. Pela primeira vez desde que fazemos isso, é que nos preocupamos em elevar a coisa para um nível mais pessoal e físico. Eu namoro o rosto distraído dele e lembro de tratar os arranhões que deixei em suas costas, ouvindo-o dizer coisas em árabe que não fazia nem questão de traduzir. Heru levanta-se num supetão e vira o meu colar, anotando os hieróglifos em um papel improvisado e resmunga ao voltar a deitar. Já sei que tenta entender a oferenda e pronuncia as palavras em sequências variadas, até fazer sentido. Toco em seu lábio para fazê-lo se calar e me aninho em seu abraço. Só hoje, querido, não falemos em trabalho. Roço meu nariz por seu rosto quadrado e reclamo da barba áspera, mas sinto-me protegida por seus braços e mãos sempre geladas. Heru beija a minha testa e desenha com os dedos na minha bunda, me fazendo rir. Ele se lembra de me agradecer pela tradução de novo e mais outras vezes, reforçando o quão honrado se sentiu por me ter como sua assistente, amiga e agora parceira. Confessa que estava a um passo de desistir do texto e eu, novamente, rogo-lhe que não falemos de trabalho. Mas meu amado professor não está contente e me implora para que façamos um artigo sobre Thot e sua amante ao voltarmos de férias.
submitted by lipherus to EscritoresBrasil [link] [comments]


2017.07.12 12:59 AntonioMachado [2003] American Sociological Association - The Importance of Collecting Data and Doing Social Scientific Research on Race

Texto aqui. Principais pontos:
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
submitted by AntonioMachado to investigate_this [link] [comments]


Alessandro faz amor com Maria José no chuveiro( CENA SEM ... Belinda dos Orixás na Praia dos Desejos. - YouTube filme proibido no brasil A VAGINA DENTADA - YouTube Filmes de lésbicas completos - YouTube SEXO AMOR TRAIÇÃO 3 - YouTube MULHER FAZ SEXO COM FILHO E IRMÃO AO MESMO TEMPO - YouTube Minha menina Filme Brasileiro: Amor.com - YouTube Sexo, Amor - Filmes completos dublados 2015 lançamento ...

Apresentação da UMAR

  1. Alessandro faz amor com Maria José no chuveiro( CENA SEM ...
  2. Belinda dos Orixás na Praia dos Desejos. - YouTube
  3. filme proibido no brasil A VAGINA DENTADA - YouTube
  4. Filmes de lésbicas completos - YouTube
  5. SEXO AMOR TRAIÇÃO 3 - YouTube
  6. MULHER FAZ SEXO COM FILHO E IRMÃO AO MESMO TEMPO - YouTube
  7. Minha menina
  8. Filme Brasileiro: Amor.com - YouTube
  9. Sexo, Amor - Filmes completos dublados 2015 lançamento ...
  10. Dentro de Você - YouTube

Adorei!!! sou fã dos filmes franceses... Delicioso na medida esse filme! Mulheres românticas, caiam de boca! Katrina é uma famosa blogueira de moda que dita tendências no mercado brasileiro através de seus populares vídeos na internet. Fernando, por sua vez, é um vl... Provided to YouTube by Som Livre Dentro de Você · Filipe Ret · MC Kevin O Chris Dentro de Você ℗ 2020 Som Livre Released on: 2020-03-13 Auto-generated by You... ★★★★★ LOJA http://loja.descealetra.com.br FANPAGE http://facebook.com/descealetra GIRO DE QUINTA http://www.girodequinta.com.br TWITTER http://twitte... tavamos em passeio de namoro e aproveitei pra tirar mais k mil palavras de amor. Filme SEXO AMOR & TRAIÇÃO! Filme brasileiro: BELINDA DOS ORIXÁS NA PRAIA DOS DESEJOS. (1979) Uma inusitada mistura entre candomblé, sexo e crime. A história se desenrola a partir da ch... Cena quem que Alessandro ( #WilliamLevy) faz amor com Maria José ( #JackyBracamontes) embaixo do chuveiro . Novela Sortilégio Capítulos dublados e SEM CORTES... filmes todas semanas. escreve-se no canal deixa like pra mim motivar nossa series de filmes proibido ta de volta- deixem sugestões de filmes no comentários! ... Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube.